Veículo de combate a incêndio tem canhão de água operado por controle remoto

Veículo de combate a incêndio tem canhão de água operado por controle remoto

10h30 - 02/07/2019

Os profissionais de Itaipu que atuam no trabalho de combate a incêndio vão celebrar o Dia do Bombeiro Brasileiro, nesta terça-feira (2), com um equipamento novo. O antigo caminhão Volvo modelo NL10, de 1996, o maior da frota, foi substituído por um Scania P360, zero quilômetro. A entrega técnica ocorreu na semana passada pela empresa fornecedora.

Controlado por controle remoto, canhão tem alcance de 70 metros e potência de 3.600 litros por segundo. Fotos: A. Marchetti.

O novo veículo tem capacidade para 10 mil litros de água, ante 8 mil litros do modelo anterior. A bomba de vazão de água também é mais potente, de 1.000 galões por minuto (ou 3.600 litros) e alcance de até 70 metros, com jatos sólidos ou neblinados; no antigo caminhão, a vazão era de 750 galões.

A grande diferença, porém, está na tecnologia. O caminhão possui no teto um canhão-monitor operado por controle remoto. No modelo antigo, era necessário que um bombeiro saísse do veículo para ligar a bomba e outro subisse no caminhão para direcionar o jato de água.

É possível operar o canhão tanto da cabine, com a imagem da câmera instalado junto ao canhão, como do lado de fora.

“Agora eu consigo operar [o canhão] de dentro da cabine e uma câmera instalada no teto me mostra a direção da água ou do LGE (Líquido Gerador de Espuma)”, explica o coordenador do Corpo de Bombeiros, Ademar Luiz Lenzi.

Segundo ele, a operação remota do canhão garante mais agilidade para a equipe, que pode começar o combate ao incêndio assim que chegar ao local. Além disso, é possível fazer o mesmo trabalho com menos pessoas. “No lugar de dois combatentes, eu só preciso de um. Com a tecnologia, conseguimos aumentar o nosso efetivo.”

A cabine tem teto mais alto que o modelo anterior e facilidades, como conjuntos de equipamentos autônomos acoplados ao banco.

Ademar Lenzi, coordenador dos Bombeiros de Itaipu: "Com a tecnologia, conseguimos aumentar o nosso efetivo”.

Outra melhoria do modelo é que os conjuntos de equipamentos autônomos dos bombeiros estão acoplados ao banco do passageiro. Basta puxar as travas e vestir o equipamento, antes de sair do veículo. “Antes, era necessário se vestir do lado de fora.”

Teto elevado

A cabine para cinco pessoas também tem novidades. O teto foi elevado para 1,76 metros, ante 1,40 do modelo anterior. Ou seja, dependo da altura do bombeiro, é possível ficar em pé sem tocar o teto. E o câmbio automático de 12 marchas sequenciais aposentou o velho câmbio manual.

Do lado de fora, o veículo tem quatro holofotes fixos superiores, luminárias e uma torre de iluminação direcionável, importante para locais sem energia elétrica. O veículo também tem câmeras nas laterais e na traseira (de ré), além da câmera instalada junto ao canhão.

Na entrega técnica, equipe dos Bombeiros teve a oportunidade de conhecer o equipamento e tirar todas as dúvidas.

Controles da parte externa: vermelho é expedição, ou seja, saída de água; azul, admissão, para abastecimento do caminhão.

“É o que existe de mais moderno no mercado”, garante Daniel Rossett, da empresa Triel-HT, de Erechim (RS), fornecedora do equipamento. Ele cita como exemplo de avanço o sistema com bombas independentes, que permite dosar as quantidades de água e espuma em cada linha. “No Brasil são poucos os lugares que têm esse modelo. Apenas unidades industriais grandes”, indicou.

Com 13 anos de casa, Tiago Leal cita como benefícios do modelo a “tecnologia, dirigibilidade, maior segurança”. “Uma série de fatores que vão facilitar o trabalho. Vai melhorar tanto no tempo-resposta quanto na qualidade do atendimento”, relacionou.

Os jatos lançados pelo canhão podem ser sólidos ou neblinados, como o da foto.

Para Celso Correia Monteiro, 12 anos de Itaipu e 9 nos Bombeiros, a automatização é a principal característica do veículo. “Mais rápido e mais simples [de operar]”, ele disse, acrescentando que “o fato de ser um veículo novo, com menos manutenção, também nos dá mais confiabilidade”.

Ademar Luiz Lenzi explica que a equipe dos bombeiros de Itaipu conta hoje com quatro brasileiros e quatro paraguaios em cada turno de seis horas, cobrindo as 24 horas do dia. Todos estarão aptos para operar o novo equipamento.

Teste de lançamento do LGE, o Líquido Gerador de Espuma.

Versão para impressão