Região poderá ganhar espaço para subsidiar tomadas de decisão em saúde

Região poderá ganhar espaço para subsidiar tomadas de decisão em saúde

10h55 - 22/03/2019

A região trinacional poderá ganhar uma Sala de Situação em Saúde para concentrar dados do Brasil, Paraguai e Argentina. O assunto foi discutido na última terça-feira (19) durante a 172ª Reunião do Grupo de Trabalho Itaipu-Saúde. Participaram equipes da Secretaria de Saúde de Foz do Iguaçu, representantes de municípios lindeiros, da Argentina e do Paraguai.

As Salas de Situação em Saúde são consideradas como espaços de inteligência em saúde, dedicadas à pesquisa e desenvolvimento de ações incisivas e integradas. “Elas criam um sistema automatizado dos problemas que eles já conhecem. Porém, ao invés de utilizar dados criados a partir do senso comum, os profissionais terão uma base científica para a criação de projetos eficazes", afirmou. o consultor em epidemiologia da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas/BR), Juan Cortez Escalante, que deu uma palestra no evento.

Em sua fala, o profissional apresentou uma série de dados e indicadores de mortalidade, com o intuito de demonstrar a importância da pesquisa para definir as prioridades de ação e a criação de políticas públicas. "A pesquisa constante dos indicadores tem a capacidade de demonstrar quais são os principais problemas, mas também as evoluções de trabalho”, afirmou.

“Este é o momento inaugural de um passo que pode significar uma mudança na forma de se produzir ações de saúde. Temos uma expectativa muito grande para esse projeto, que vai ser feito em parceria com a Itaipu, com o suporte da Opas e do Ministério da Saúde", afirmou a secretária municipal de Saúde de Foz do Iguaçu, Kátia Uchimura. "Esperamos ter como resultado dessa reunião a sensibilização dos municípios para um futuro de compartilhamento de dados e elaboração de ações seguras para a saúde”, completou.

Doutor Juan Escalante apresentou uma série de de dados referentes a importancia da pesquisa na saúde. Foto. Nilton Rolin.

Parceria com a Itaipu

O sistema, segundo Escalante, já está sendo utilizado por outras secretarias de saúde em diversos municípios. O convite para a palestra de apresentação partiu da Secretária de Saúde de Foz, que representa o município no GT Itaipu-Saúde. Por ter abrangência trinacional, o Grupo de Trabalho apoiou a realização do evento e fomentou a participação de profissionais de saúde do Paraguai e da Argentina.

Os dados podem servir de base para o desenvolvimento de ações eficazes para a saúde pública. Foto: Nilton Rolin.

“A parceria com o GT Itaipu-Saúde se tornou fundamental para esse espaço de discussão na tríplice fronteira, para que possamos compartilhar problemas e, principalmente, as soluções. Isso envolve toda uma região de fronteira e os municípios lindeiros. Precisamos envolver todos nesse processo para que os setores conversem entre si”, afirmou Kátia.

Sala de Situação em Saúde

Um dos objetivos do projeto é fazer com que a saúde pública seja uma preocupação de todos os setores do governo, e não só da pasta responsável. Para isso, as Salas de Situação em Saúde são compostas por quatro módulos: socioeconômico; ações em saúde; situação de saúde e gestão em saúde.

“É impossível separar a saúde pública da oferta de serviços essenciais à população. Temos pesquisas que comprovam a redução das taxas de mortalidade materna em regiões que passaram a ter saneamento básico, água encanada, coleta de lixo e diminuição do analfabetismo”, concluiu Juan Escalante. 

Versão para impressão