Novo reforço do Refúgio Biológico é apaixonado por onças

Novo reforço do Refúgio Biológico é apaixonado por onças

11h00 - 12/08/2019

Com menos de um mês de casa, o médico veterinário Pedro Henrique Teles, da Divisão de Áreas Protegidas da Itaipu, teve que encarar pelo menos dois grandes desafios. O primeiro, para o qual já estava preparado, foi dar assistência às duas novas oncinhas-pintadas do Refúgio Biológico Bela Vista, que nasceram dentro do programa de reprodução em cativeiro da instituição. Os filhotes, que viraram notícia nacional, exigem atenção constante.

Pedro Henrique Teles, reforço na equipe de Itaipu. "O Refúgio Biológico é referência em medicina veterinária", disse. Foto: A. Marchetti.

O segundo desafio, inesperado, foi socorrer uma onça-parda atropelada na rodovia BR-163, entre Mercedes e Guaíra, no último dia 25 de julho. O animal foi resgatado pela Polícia Ambiental e levado em estado grave para o Refúgio Biológico.

“O Zalmir [Cubas, médico veterinário do Refúgio] estava de férias, então pensei: ‘Pelo menos é um animal que eu conheço’. E conseguimos fazer tudo da melhor forma possível”, relembra.

A experiência com onças em trabalhos anteriores, e a paixão pelo animal, ajudaram o médico a tomar as decisões corretas. Os primeiros contatos com as onças ocorreram ainda na faculdade, na Universidade de Brasília – perto da capital, há o maior criadouro de felinos do País. “Foi quando comecei a fazer alguns projetos de extensão, de enriquecimento ambiental com as onças, e acabei me envolvendo mais”, diz.

Onça-parda atropelada passou por cirurgia de quatro horas e meia e agora recupera-se bem. Foto: Equipe RBV.

Na residência, na Unesp de Jaboticabal (SP), também participava de projetos com onças. Pedro foi ainda responsável técnico por dois criadouros de onças, em São Paulo e Mato Grosso do Sul, contribuiu no projeto Onçafari e participou do projeto Onças do Rio Negro, ambos no Pantanal.

E como ele veio parar na Itaipu? Pedro conta que os amigos o alertaram quando foi aberto o teste seletivo externo na empresa: “Itaipu é a tua cara!”. E era mesmo. Segundo ele, o Refúgio Biológico é uma grande referência para a medicina veterinária brasileira, notadamente pelo trabalho desenvolvido pelos colegas Zalmir Cubas e Wanderlei de Moraes (já aposentado). “São dois profissionais reconhecidos no Brasil.”

Pedro Teles observa ave no Hospital Veterinário do Refúgio Biológico. Foto: A. Marchetti.

Agora na Itaipu, colega de Zalmir, outro apaixonado por onças e com vasta experiência na área, a expectativa é a melhor possível. “Trabalho bastante com os felinos, mas tenho interesse por todos os animais. Aqui vamos lidar com as antas, o veado-bororó, os macacos, e temos ainda o maior centro de reprodução de harpias do mundo”, relaciona.

De quebra, a região ainda abriga o Parque Nacional do Iguaçu, o maior remanescente de Mata Atlântica da região Sul do Brasil e com população de onça-pintada. Trabalho não vai faltar para o novo médico veterinário do RBV.

Versão para impressão