Londrina receberá primeira incubadora da Fundação PTI fora do Oeste do Paraná

Londrina receberá primeira incubadora da Fundação PTI fora do Oeste do Paraná

14h32 - 18/12/2018

O município de Londrina, a 551 Km de Foz do Iguaçu, será a primeira cidade do Paraná fora da região Oeste a receber uma unidade da Incubadora Santos Dumont, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). Outras unidades funcionam em Foz do Iguaçu, Cascavel, Marechal Cândido Rondon, Toledo e Capitão Leônidas Marques.

O acordo de cooperação foi assinado nessa segunda-feira (17) pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, Marcos Stamm, o diretor superintendente da PTI, Jorge Callado, o prefeito Marcelo Belinati e o presidente do Instituto de Desenvolvimento de Londrina (Codel), Bruno Ubiratan.


Marcos Stamm foi um dos signatários do acordo. Foto: Vivian Honorato.

A cerimônia foi no gabinete do prefeito, na Prefeitura de Londrina. Na ocasião, foi assinado o acordo e o plano de trabalho para a instalação da Incubadora Santos Dumont, além de entregue à prefeitura um software livre de governança municipal. O sistema, desenvolvido pela PTI, é adaptável às realidades dos municípios e contém um módulo para o Portal da Transparência, validade pelo Ministério Público.

No primeiro edital de incubação, serão selecionadas 45 ideias de empresas que poderão ser transformadas em novos negócios para a cidade, nas áreas de agro, cidades inteligentes, saúde e educação. O acordo tem prazo de vigência de 12 meses, renovado automaticamente até o limite de cinco anos. O local de instalação da incubadora ainda será definido, com anuência das entidades parceiras e da sociedade, segundo a prefeitura.

O plano de trabalho prevê a realização de encontros em 2019. No próximo ano, serão promovidos três workshops com a comunidade, além de publicado um edital para o apoio de empresas londrinenses.  

“Por meio do PTI, estimulamos ações que são incentivadoras de progresso. A escolha de Londrina é muito natural, porque hoje a cidade é um polo reconhecido de Tecnologia da Informação”, disse Stamm. “A incubadora vem somar, potencializando os processos e gerando muito desenvolvimento para a região”, completou o DGB. Atualmente, a PTI já confere suporte gerencial a 19 empresas incubadas.


Jorge Callado, durante a assinatura do acordo: estímulo ao desenvolvimento tecnológico do Paraná. Foto: Vivian Honorato.

É a primeira vez que Itaipu e o município de Londrina estreitam relações em um acordo como esse. “Podemos dizer que a nossa parceria está começando bem, porque além do combinado, tem algo a mais, que é o software de gestão municipal”, afirmou Jorge Callado.

“É um novo ciclo de desenvolvimento para a cidade, que gera emprego e renda. Não tenho dúvida que a Tecnologia de Informação vai ser o grande novo ciclo de desenvolvimento da economia de Londrina”, disse o prefeito Belinati.

Tecnologia e pluraridade

A Incubadora Santos Dumont contemplará diversos modelos de negócio. Com os profissionais qualificados, ela poderá ajudar novas empresas na oferta de produtos e serviços com significativo grau de inovação, por meio de suporte técnico, gerencial e formação complementar ao empreendedor.

A ideia é estimular o desenvolvimento de soluções tecnológicas e a atração de novos negócios em Londrina, por meio do reconhecimento do ecossistema municipal e do diagnóstico e das oportunidades de inovação e desenvolvimento de programas e projetos.

A iniciativa prevê o estabelecimento de uma parceria para a cooperação técnica voltada à implementação de programas e projetos de inovação. O foco é a geração de novos negócios e o compartilhamento de serviços que ajudem a fomentar a área de Tecnologia da Informação (TI).

 “O objetivo é transformar ideias em produtos e negócios, gerando emprego e renda na cidade. Para isso, temos uma metodologia que foi eleita a melhor do Paraná e damos apoio em serviços, consultorias e assessoria para o desenvolvimento dessas empresas”, completou o gerente do Programa de Desenvolvimento de Negócios do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), Pedro José Sella.

Versão para impressão