Itaipu vai ganhar Data Center com tecnologia de ponta em segurança

Itaipu vai ganhar Data Center com tecnologia de ponta em segurança

14h01 - 30/05/2019

Projeto foi apresentado ao diretor-geral brasileiro em reunião no Centro Executivo. Fotos: A. Marchetti.

A Itaipu Binacional – Margem Esquerda poderá contar, em breve, com um espaço muito mais moderno e adequado para armazenar dados digitais. Tecnologias de ponta em segurança e proteção contra incêndios, sinistros e acessos indevidos serão utilizadas para proteger um dos bens mais preciosos da empresa: suas informações. 

Diretor considerou a obra de importância estratégica para a empresa.

A obra foi aprovada pelo diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, após uma reunião no dia 23, quando foram apresentados os detalhes do projeto. Segundo o diretor, o investimento é essencial para a segurança da empresa. “Esta iniciativa terá importância estratégica não somente agora, mas num horizonte de 20, 30 anos”, considerou. 

Locais das atuais salas de TI, em vermelho; e a futura localização dos equipamentos, em verde. Foto: SI.GG.

Atualmente, os servidores corporativos da empresa estão localizados em dois pontos: um na cota 133 da barragem, e outro na antiga Central Telefônica da margem esquerda. Apesar de estarem funcionando corretamente e atendendo às necessidades, nenhum dos espaços é considerado adequado para armazenar as máquinas, que precisam de ambientes climatizados, com fontes de energia estáveis e redundantes e sistemas de segurança de detecção e extinção de incêndio, além da segregação de acesso de terceiros. 

Data Center da Margem Direita, onde ficarão parte dos servidores. Foto: SI.GG. 

Os equipamentos que hoje estão na cota 133 serão, em breve, levados para o Data Center da Margem Direita, inaugurado em 2018 e com o início de operação previsto para fevereiro de 2020. Já o novo Data Center da Margem Esquerda vai receber os equipamentos localizados, atualmente, na antiga Central Telefônica. A infraestrutura de TI corporativa continuará contando com esses dois pontos diferentes com servidores, para que haja manutenção sem interrupção dos serviços e garantindo que nenhum dado se perca. 

“A ideia é que as obras se iniciem no começo de 2020 e que o Data Center esteja em operação na segunda metade de 2022”, explicou Everton Schonardie Pasqual, gerente do Departamento de Produção e Suporte Técnico (SIP.GG). 

Sala de TI atual: inadequada às necessidades da empresa. Foto: SI.GG. 

O novo prédio, que será construído perto do Schumódromo, ao lado do novo Arquivo Técnico, terá infraestrutura de ponta para receber os servidores da Itaipu e abrigar as informações mais importantes da empresa com toda a segurança. “As informações críticas da usina precisam estar em estruturas próprias e seguras, sob nossa gestão”, reforçou o superintendente de Informática, Leonardo de Oliveira Leite. 

Leonardo Leite:  “As informações críticas da usina precisam estar em estruturas próprias e seguras". 

Compartilhamento

Planejado de forma modular, o novo Data Center terá não só as salas dos servidores, mas também, no segundo andar, escritórios de áreas relacionadas à gestão, suporte e operação dos equipamentos e serviços. “Estamos trabalhando para poder oferecer outros serviços aos nossos clientes de TI, de modo que a SI.GG se responsabilize por toda infraestrutura suporte e operação, deixando as outras áreas livres para e que seus resultados sejam alcançados com excelentes níveis de disponibilidade”, explicou Everton Pasqual.

Everton Pasqual apresenta o projeto do Data Center. 

“Essa maior possibilidade de trabalho em parceria será muito importante para as futuras demandas e novos desafios que a SI.GG irá receber”, lembrou Leonardo Leite. 

A estrutura modular também vai garantir mais segurança, separando os servidores em salas específicas. Além de permitir expansões futuras com menor investimento, isso também vai garantir maior segurança, com a segregação de acesso na sala, por níveis. “Nosso objetivo é atender cada vez melhor nossos clientes, que são os empregados da Itaipu. Com essa estrutura, poderemos fazer esse trabalho de forma ainda mais eficiente”, finalizou o superintendente. 

Versão para impressão