Itaipu e PTI sediam evento de segurança cibernética da Abrage

Itaipu e PTI sediam evento de segurança cibernética da Abrage

16h30 - 06/11/2019

Evento reúne especialistas de diversas instituições. Fotos: Kiko Sierich. 

A Associação das Empresas Geradoras de Energia Elétrica (Abrage), em parceria com o Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e a Itaipu Binacional, está realizando o Colóquio Técnico de Segurança Cibernética, evento que tem a finalidade de debater a segurança das informações no ambiente elétrico brasileiro, com a participação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) e especialistas na área. 

O encontro é realizado na Superintendência de Informática da Itaipu, nos dias 6 e 7 de novembro, com a coordenação do Centro de Estudos Avançados em Proteção de Estruturas Estratégicas (Ceape²) do PTI. O Colóquio Técnico prevê um amplo debate sobre práticas de implantação e operação adotadas em NOC (Network Operation Center/Centros de Operações de Rede) e/ou SOC (Security Operation Center/Centro de Operações de Segurança) nos ambientes de automação das empresas do setor elétrico.

Evento está sendo sediado e apoiado pela Itaipu e PTI.

Após todos os debates e palestras, será elaborado um relatório de segurança cibernética que servirá como referência para atividades que envolvam segurança da informação no setor elétrico. 

Na abertura do evento, o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Joaquim Silva Luna, reforçou, por meio de vídeo gravado especialmente para a ocasião, como o tema de segurança cibernética é importante para a Itaipu. “Fazemos parte de uma sociedade em que a informação tem cada vez mais valor e precisa ser cada vez mais protegida. O setor elétrico não é exceção”, disse. 

Também por videoconferência, o diretor técnico executivo da Itaipu, Celso Torino, mencionou a preocupação da empresa com as atualizações digitais que estão ocorrendo. “A Itaipu está passando por uma fase de atualização e nos preocupa não só discutir tecnologia, mas a inserção dessa tecnologia na empresa. Esse evento é importante para nós, e, certamente, nos ajudará nesse processo”, avalia Torino.

O colóquio conta com o apoio da Associação Brasileira das Empresas de Transmissão de Energia Elétrica (Abrate), a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a Eletrobras Furnas, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a Universidade de Brasília (UnB) e o Exército Brasileiro.

Versão para impressão