Itaipu adquire unidades de ar respirável com máscara facial para espaços confinados

Itaipu adquire unidades de ar respirável com máscara facial para espaços confinados

09h09 - 09/05/2019

As equipes de Itaipu que trabalham em espaço confinado ganharam o apoio de um novo sistema para garantir a qualidade do ar respirado. Trata-se de um conjunto composto por unidades purificadoras de ar e máscaras faciais inteiras, conectadas a tubos flexíveis de ar comprimido de 30 ou 60 metros. As unidades são móveis e contêm cilindros de fuga, que poderão servir de backup em caso de falta de energia.

Sistema é composto por unidade de ar respirável (azul) e máscaras faciais inteiras. Cilindros são para backup. Fotos: Nilton Rolin

O novo sistema, chamado Smart, reforça os cuidados da Itaipu com os trabalhadores que atuam em espaços confinados, conforme preveem a NR-33 (norma regulamentadora) e a NBR 16.577 (norma técnica). Em fevereiro, as equipes receberam ventiladores industriais para renovação do ar (leia abaixo).

Ovidio Leon Junior, da Divisão de Engenharia de Segurança do Trabalho (RHSS.AD), explicou que as unidades de ar respirável serão utilizadas em atividades mais complexas, onde somente a ventilação não elimina a presença de contaminantes (como o gás metano e o gás sulfídrico). Ou em locais em que não é possível mensurar o tipo e a quantidade de gases.

As linhas flexíveis são conectadas a um cinto, que leva o ar puro até a máscara facial. Depois, é só colocar o capacete e respirar normalmente.

Cesar Augusto Velazquez Ramirez (SMMC.DT) não viu dificuldades. "É leve, rápido e seguro. Então vai ser muito útil”, disse.

Ele citou como exemplo estações de tratamento de esgoto e poços anti-inundação, que precisam de limpeza frequente. “Geralmente o profissional projeta jatos de água no local, desprendendo o gás que estava inerte no interior do espaço confinado. Isso pode provocar uma névoa de gás contaminante”, disse. Outra aplicação é para espaços com baixa concentração de oxigênio.

A entrega técnica e a capacitação para utilização do novo sistema começaram na segunda-feira (6) e terminam nesta quinta (9), com atividades práticas (na cota 108, em frente à unidade 15) e teóricas (no Centro de Treinamento). Participam cerca de 50 empregados da SMMC.DT, SMMA.DT, ODMS.CD e Segurança do Trabalho, com apoio da Divisão de Desenvolvimento de Recursos Humanos (RHDD.AD).

Ovidio Leon Junior diz que sistema atende à NR-33 (norma regulamentadora) e à NBR 16.577 (norma técnica).

Capacitação teórica ocorreu no Centro de Treinamento. Atividade reuniu cerca de 50 empregados. Foto: Ovidio Leon Junior

Foram adquiridas duas unidades de ar respirável e oito máscaras faciais inteiras. Cada unidade poderá atender a quatro trabalhadores simultaneamente. Também fazem parte do pacote seis lotes de linhas de ar comprimido de 30 metros e outras seis de 60 metros – ou seja, o equipamento poderá ser utilizado em poços com esta profundidade.

O diretor técnico da empresa fornecedora Breath, Claudinei Machado, disse que o produto adquirido por Itaipu é o mais moderno e seguro disponível no mercado para proteção respiratória. Além de filtrar o ar, o sistema tem alarmes sonoros e sensores que indicam o tipo do gás tóxico. “Garante a qualidade do ar respirado e traz mais segurança para o trabalhador”, afirmou.

Treinamento técnico foi na cota 108, em frente à unidade 15. Grupo aprendeu o uso correto do equipamento.

Responsável por serviços como limpeza e manutenção de poços elevatórios de esgoto, cisternas ou reservatórios de água tratada, Carlos Maciel Nunes (ODMS.CD) aprovou a novidade. “Hoje nós já adotamos o sistema de ventilação e fazemos a análise preliminar de risco, conforme a NR-33. O novo equipamento é um avanço, porque elimina totalmente o risco”, indicou.

Cesar Augusto Velazquez Ramirez (SMMC.DT) testou o novo sistema e destacou a facilidade de manuseio. “Às vezes nós precisamos movimentar carga pesada [em espaços confinados] e, com este equipamento, temos mais mobilidade para trabalhar. É leve, rápido e seguro. Então, vai ser muito útil.”

Carlos Maciel Nunes (ODMS.CD): "O novo equipamento é um avanço, porque elimina totalmente o risco".

Ovidio Leon Junior acrescentou que o Smart pode ser abastecido tanto por um compressor como pelo sistema de ar comprimido instalado na área industrial.

O JIE publicou

Trabalho em espaço confinado ganha apoio de novo sistema de ventilação

Versão para impressão