Exposições do Ecomuseu ficam em cartaz até o final do mês

Exposições do Ecomuseu ficam em cartaz até o final do mês

11h30 - 12/03/2019

Três exposições sairão de cartaz do Ecomuseu até o final do mês de março. A primeira a ser desmontada será Aovyta, sobre o patrimônio têxtil do Paraguai, que pode ser visitada até o próximo domingo (17). As outras duas mostras Sway Luccas Cristalvo e Poesia do Movimento Mecânico ficam no local até 31 de março.

Poesia do Movimento Mecânico fica em cartaz até o fim do mês. Fotos: Adenésio Zanella

Segundo a museóloga Letícia Acosta Porta, da Divisão de Educação Ambiental (MAPE.CD) da Itaipu, e curadora das exposições, a equipe do Ecomuseu vai usar o mês de abril para terminar as desmontagens e preparar os espaços para as novas atrações, que serão inauguradas em maio, mês de aniversário da Itaipu.

“A gente recebe propostas dos artistas e faz uma análise com a equipe do Ecomuseu e da Educação Ambiental. Aí convidamos o artista para conversar e alinhar a proposta dele com o enfoque do museu”, explica Letícia. “Mas também fazemos a própria curadoria, propondo nós mesmos um tema”.

É o caso de uma exposição sobre a barragem da Itaipu, ainda sem nome definido, que entrará no lugar da Poesia do Movimento Mecânico, no espaço nobre do Ecomuseu. O objetivo é aproveitar o mês de aniversário da binacional para falar sobre a empresa, com o recorde da barragem e sobre como a condição geológica da região favoreceu a construção da Itaipu. “Estamos negociando parceria com o Laboratório de Concreto e o Ceasb para montar esta exposição”, conta Letícia.

No lugar de Aovyta será montada a Paraná às Margens, uma mostra fotográfica sobre o cotidiano do Paraná, feita pelo arquiteto Henrique Gazzola, da Divisão de Planejamento de Infraestrutura (ODMP.CD), e pelo docente do curso de Letras da Unila, Marcelo Marinho. Por sua vez, Eletrik.co Heart, da artista Lu MizKatze, exibe murais sobre a Itaipu e ficará na sala onde hoje está a exposição Sway.

As visitas ocorrem de terça a domingo, das 9h às 18h. Os ingressos custam R$ 14 (inteira) e R$ 7 (meia entrada). Moradores dos municípios da região trinacional, lindeiros ao Lago de Itaipu e ao Parque Nacional do Iguaçu não pagam.

Últimos dias para visitar

O acervo do Museu Tierra Guarani, da margem direita, está disponível mo Ecomuseu.

As três exposições que saem de cartaz em março foram inauguradas em outubro do ano passado. Esta será a última semana para quem quiser ver a mostra Aovyta, com peças que apresentam o patrimônio têxtil do Paraguai. O acervo é do Museo de Itaipu Tierra Guarani, mantido pela Itaipu na margem direita da usina, e foi emprestado ao Ecomuseu para a exposição.

Du Salzane levou toda a poesia de seus autômatos ao Ecomuseu.

Até o final do mês ainda será possível prestigiar as outras duas. Poesia do Movimento Mecânico traz 20 autômatos do acervo do artista Du Salzane, que produzem movimentos a partir de princípios mecânicos e físicos, aplicados em materiais reutilizados após o descarte. São referências aos espetáculos circenses, aos sentimentos universais e às atividades do cotidiano.

O iguaçuense Luccas Cristalvo e sua intepretação do mundo em Swan.

Finalmente, as pinturas da exposição Sway são do jovem iguaçuense Luccas Cristalvo, diagnosticado há cerca de dois anos com Transtorno do Espectro Autista (TEA). O artista usa da sua habilidade para expressar sentimentos, valores e interpretação do mundo. A mostra tem como objetivo levar conhecimento e conscientização à sociedade sobre o autismo, expondo potencialidades e talentos daqueles diagnosticados com o transtorno.

Serviço

Exposições Aovyta, A Poesia do Movimento Mecânico e Sway Luccas Cristalvo

Local: Ecomuseu de Itaipu (Avenida Tancredo Neves, 6001, Foz do Iguaçu-PR)

Horário de visitação: terça a domingo, das 8h às 17h Ingressos: R$ 14 e R$ 7 (meia entrada)

Informações: ecomuseu@itaipu.gov.br | (45) 3520-5816 www.turismoitaipu.com.br/pt/atracoes/ecomuseu

Versão para impressão