Eólica e solar vão se aproximar de produção hidrelétrica em breve

Eólica e solar vão se aproximar de produção hidrelétrica em breve

09h45 - 27/05/2019

O sol vai continuar brilhando nos próximos anos, o vento vai continuar a soprar na Bahia e o Ministério de Minas e Energia (MME) já garantiu a realização de leilões para a contratação de projetos na área de energias renováveis pelos próximos três anos. Entretanto, a continuidade do processo de expansão das indústrias produtoras e fornecedoras de equipamentos para a produção de energia fotovoltaica e solar na Bahia ainda depende de um outro fator.

“Os leilões, tão importantes para a Bahia, vão acontecer. A robustez dos projetos e a quantidade de contratações dependerão da economia”, explica o diretor-geral do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), Eduardo Barata. Se o Brasil retomar o ritmo de crescimento, os resultados serão muito melhores por aqui. É como diz a já célebre frase de James Carville, marqueteiro do então candidato Bill Clinton, sobre a chave para ele desbancar o ex-presidente George Bush, candidato à reeleição em 1992: “É a economia, estúpido”.

A longo prazo

Se o desempenho nos próximos anos dependem da conjuntura econômica, a longo prazo as energias renováveis são uma realidade inevitável, acredita Eduardo Barata. “Em 20 anos certamente a eólica e a solar irão dividir o protagonismo com a geração hidrelétrica”, projeta.

Atualmente, as duas novas matrizes respondem por 10% da energia gerada no país e devem atingir a marca de 14% nos próximos quatro anos. “O crescimento da matriz energética brasileira vai acontecer calcado nas fontes renováveis”, afirma Barata.

Fonte: Correio da Bahia

Versão para impressão