Curitiba terá a maior usina de energia solar do Paraná

Curitiba terá a maior usina de energia solar do Paraná

08h30 - 09/10/2017

Até o fim deste ano, parte dos 3.160 painéis fotovoltaicos da usina de energia solar do pátio do Centro Politécnico da Universidade Federal do Paraná (UFPR) devem começar a ser implantados. O cronograma prevê que a usina de energia solar entre em funcionamento em 2018. A unidade será a maior do Paraná e sua instalação é parte de um conjunto de projetos que ainda inclui a troca de mais de 50 mil lâmpadas em vá- rios campi da universidade, além de ações de monitoramento do consumo de energia. Os projetos serão financiados com recursos obtidos por meio de editais públicos do setor elétrico e prevêem uma economia de quase R$ 1,5 milhão por ano a partir do aumento da eficiência energética, além do fomento de pesquisas em diversos departamentos da instituição. Os projetos foram contemplados em duas chamadas públicas lançadas pela Copel, em cumprimento a legislação do setor de energia. Elaboradas por uma equipe multidisplinar de professores dos setores de Tecnologia e de Ciências Exatas da universidade, além de especialistas da Fundação da UFPR (Funpar), as propostas passaram também pelo crivo da Agência Nacional de energia elétrica (Aneel). Os projetos proporcionarão à UFPR uma economia de R$ 1 milhão por ano com energia. De acordo com o engenheiro Ricardo Kenji Wojitani, consultor do projeto na área de eficiência energética, os painéis ocuparão uma área de quase 7 mil metros quadrados, configurando o maior sistema do gênero no Paraná, com capacidade para gerar 1.132 MWh de energia por ano. Só a usina solar permitirá uma economia anual de R$ 473 mil. O restante da economia virá da troca, no Politécnico e em várias outras unidades da UFPR na Região Metropolitana de Curitiba, de 39.280 lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED, que são mais econômicas e possuem vida útil maior.O projeto inclui ainda a instalação de medidores em cerca de 100 edifícios do campus e a etiquetagem desses edifícios para monitorar o consumo de energia.

Cidade tem empreendimentos sustentáveis

Curitiba já tem outros empreendimentos comerciais que investiram em propostas que prezam a sustentabilidade. A nova sede da RAC Engenharia no Bacacheri, em Curitiba, será o primeiro edifício corporativo NET Zero Água e Energia do Brasil, ou seja, produzirá toda a energia elétrica que consome e também irá captar e tratar todo o esgoto sanitário gerado, bem como tornar a água de chuva potável. Todas as tecnologias empregadas na obra levaram o prédio a receber a certificação LEED Platinum (Leadership in Energy and Environmental Design ou Liderança em Energia e Projeto Ambiental) com a maior pontuação da América Latina (97 pontos). O diretor da RAC Engenharia, Ricardo Cansian, conta que para se chegar a essa autossuficiência foi adotada uma série de equipamentos e sistemas sustentáveis, previstos ainda na fase de projeto, que acarretaram um investimento extra de 14% à edificação mas capaz de reduzir o consumo geral do edifí- cio em 27%. Em setembro, a rede de supermercados Condor inaugurou a loja do Santa Quitéria. Os 1422 painéis solares fotovoltaicos instalados na cobertura irão gerar mais de 50 mil kWh/mês, equivalente ao consumo de mais de 200 famílias. R$ 2 milhões foram investidos na estrutura solar que irá contribuir com a redução da emissão de 29 toneladas de CO² por ano.

Fonte: Jornal Bem Paraná

Versão para impressão