15ª Feira do Livro e evento no Ecomuseu estão entre as atrações do fim de semana

15ª Feira do Livro e evento no Ecomuseu estão entre as atrações do fim de semana

10h29 - 18/10/2019

A homenageada desta edição é a escritora mineira Conceição Evaristo. Foto: Divulgação/PMFI

O destaque da programação do final de semana em Foz do Iguaçu é a tão esperada 15ª Feira Internacional do Livro. O evento irá reunir uma série de escritores locais e nacionais para conversar sobre o impacto da literatura no mundo. Além da Feira, há também uma série de outros eventos, entre eles, um dia de atividades especial no Ecomuseu dedicado aos empregados da Itaipu. Confira as atrações. 

Feira do Livro

Conceição Evaristo é um dos maioresn nomes da literatura nacional. Foto: Antônio Lopes. 

A 15ª Feira Internacional do Livro começa nesta sexta-feira (18), no Clube Gresfi, e termina no dia 24 de outubro (quinta-feira). A homenageada desta edição é a escritora mineira Conceição Evaristo, uma das vozes mais originais e importantes da literatura nacional, que estará na Feira na segunda-feira (21). 

Entretanto, antes da chegada de Conceição, outros importantes autores marcarão presença no espaço. Na sexta-feira (18), às 20h, a palestra de abertura será com o escritor e jornalista Rogério Pereira, que irá falar ao público sobre a importância e o amor pela literatura. 

No sábado (19), a programação começa às 15h com uma oficina criativa ministrada pelos quadrinistas Eloar Guazzelli e Fabiane Langona. Os autores também irão conversar sobre o cenário dos quadrinhos independentes no país e sobre as experiências de registrar o mundo por meio da arte. 

Autoras iguaçuenses produziram livros sobre a força das mulheres. Foto: Divulgação. 

Mais tarde, às 18h, será o momento de prestigiar a literatura local durante o lançamento dos livros das escritoras iguaçuenses Malu Neumam e Carmem Barudi. As duas obras reforçam a força da mulher diante do mundo. Às 20h, será a vez do poeta Fabrício Carpinejar subir ao palco e mostrar ao público o seu bom humor e conhecimento literário. 

Já no domingo (20), o bate-papo será sobre democracia, política e economia com os jornalistas Mário Magalhães e Eduardo Reina, autores de livros-reportagem que estudam a história do País. Logo após, o debate será a respeito dos fatores que impulsionam a violência nas grandes cidades. Os escolhidos para a conversa foram João Anzanello Carrascoza e Ana Paula Maia, que relatam, pela literatura, a complexidade das metrópoles. 

O bom humor é uma das marcas registradas de Carpinejar, que estará no evento neste sábado. Foto: Divulgação/Rádio Jornal 

A Feira é totalmente gratuita, e, além das atrações principais, haverá também uma série de estandes com atividades paralelas como bate-papos, oficinas de criação literária, palestras e atividades para o público infantojuvenil. Confira a programação completa.

Ecomuseu para os empregados 

Todos os empregados podem participar. Arte: Divulgação

Após uma semana repleta de oficinas educativas e culturais para celebrar os 32 anos do Ecomuseu de Itaipu com a comunidade, a equipe do espaço dedicou o sábado (19) para uma ação exclusiva dedicada aos empregados da usina e do Parque Tecnológico Itaipu. 

Das 15h às 19h, os colegas poderão aproveitar uma edição especial do Museu em Ação, com oficinas, show de talentos, brincadeiras para as famílias e ateliê de artes. Faça aqui sua inscrição e não deixe de participar! 

Festival de Comida Japonesa

Serão diversas opções de comida no cardápio. Foto: Frans Van Heerden/Pexels.

Neste sábado (19), a partir das 19h, acontece o 1º Festival de Comida Japonesa, promovido pela Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Foz do Iguaçu (Acefi). O evento será na sede da entidade - Rua Gilberto Romeiro, 211, Jd. Santa Rita. Quem enviou o convite foi o colega Walter Shirabe (PC.AD). 

Entre as opções de pratos da cultura oriental, o cardápio vai contar com: yakisoba (R$ 15,00); guioza (R$ 10,00); tempurá (R$ 5,00) e sushi (R$ 10,00), entre outros. As porções são individuais. Haverá também apresentações culturais com o grupo de Bon Odori (dança folclórica japonesa) da Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Londrina, ao som dos Taikos (tambores japoneses). 

Cinema

O trio de atrizes é uma das atrações do filme. Foto: Divulgação/Disney

A atração da semana nos cinemas é Malévola: A Dona do Mal, continuação do filme de 2014 que surpreendeu o público ao contar a famosa história da Bela Adormecida dando foco para a antagonista da trama. Nesta sequência, a amizade entre Malévola, vivida pela estrela Angelina Jolie, e Aurora (Elle Fanning), é ameaçada após a princesa decidir se casar com o príncipe de um reino que tem interesse em explorar o mundo das criaturas mágicas. O atrito entre as personagens é potencializado com a chegada da rainha Ingrith (Michele Pfeiffer), que afasta ainda mais as duas amigas. 

Morto Não Fala é mais uma das atrações do terror nacional. Foto: Divulgação/Globo Filmes.

Também em cartaz está o filme nacional Morto Não Fala. Na história, Daniel de Oliveira interpreta Stênio, um plantonista do Instituto Médico Legal (IML) que possui a habilidade de se comunicar com os mortos. Após revelar os segredos de um desses corpos, ele passa a ser assombrado por presenças paranormais, o que coloca em risco a vida dele e de sua família. 

Confira os horários desses filmes e das demais atrações em cartaz no Cinemark (https://bit.ly/2KpMyFh) e no Cine Cataratas (https://bit.ly/2MpLhhp). 

Netflix

A Incrível Aventura de Rick Baker

A comédia neozelandesa é um dos grandes filmes dos últimos anos. Foto: Divulgação

Antes de se popularizar mundialmente por dirigir Thor: Ragnarok, o diretor neozelandês Taika Waititi já era muito conhecido dentro da cena independente do cinema por conta de suas comédias subversivas. Entre os destaques dessas obras, está A Incrível Aventura de Rick Baker, disponível na Netflix. 

Nesta divertida história, um casal de meia-idade – a amorosa Bella e o rabugento Hector – que vive em uma tranquila fazenda próxima à floresta decide adotar o adolescente problemático Rick Baker, rejeitado por diversas famílias por sempre encontrar uma maneira de fugir, autor de pequenos delitos e que sonha em se tornar um grande rapper. 

O jovem ator Julian Dennison entrega um personagem muito divertido que evolui durante a trama. Foto: Divulgação

Dessa estranha, e muito engraçada premissa, inspirada em Wild Pork and Watercress, de Barry Crump, um clássico da literatura da Nova Zelândia, nasce uma bela história de amadurecimento, que passa por perseguições no meio da floresta, lutas com animais selvagens e a descoberta da amizade. 

A dinâmica dos personagens, principalmente entre Hector e Rick, funciona muito bem dentro da simplicidade do roteiro de Waititi, que cria situações cômicas e resoluções ainda melhores. A floresta é outra grande atração do filme. Ela funciona como um dos catalisadores da história, sendo filmada com uma luz natural que deixa o espectador ainda mais próximo dos acontecimentos – além de criar um ótimo contraste entre o visual urbanístico de Rick com a selvageria das matas. 

A Incrível Aventura de Rick Baker é uma ótima comédia com uma grande lição. Foto: Divulgação

A Incrível Aventura de Rick Baker é uma excelente comédia que te fará rir durante as quase duas horas de projeção. É um dos grandes trabalhos desse consolidado diretor, que em 2019 deve estrear seu novo filme, Jojo Rabitt – vale a pena conferir o trailer para saber o que esperar dessa obra. 

Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar 

O documentário retrata um Brasil explorado pelas condições de trabalho subumanas. Foto: Divulgação/Netflix

Na pequena Toritama, no agreste pernambucano, uma comunidade inteira é ligada pelo trabalho. Na autoproclamada Capital do Jeans, os moradores vivem uma rotina frenética nas fábricas de roupas onde produzem boa parte das peças que são vendidas para as grandes cidades. Assim, conseguem o dinheiro para a única folga que tiram durante o ano: o carnaval, que passam na praia. Desse pano de fundo, o diretor Marcelo Gomes tirou inspiração para produzir o documentário Estou me Guardando para Quando o Carnaval Chegar

Ao retirar relatos simples desses toritamenses, Gomes quer mostrar ao público um Brasil explorado, onde jovens e adultos precisam trabalhar até 12h por dia em condições precárias, para cumprir um ofício que não os dá o retorno financeiro merecido, mas que, para eles, não é um problema. 

O glamour da moda em contraste com as precárias condições de trabalho está entre os destaques do documentário. Foto: Divulgação/Netflix 

De acordo com os moradores, todo esse esforço na produção do "ouro azul" vale a pena quando conseguem passar o feriado na praia. Ao longo do documentário, a intenção do diretor não é mostrar que esses moradores estão errados, mas sim, apontar como a estrutura de trabalho imposta para os mais pobres já está enraizada na cultura nacional. Vale a pena assistir e refletir. 

Baladas

Sexta (18)

Zeppelin Old Bar - Bob Kurupi 

Guns N’ Beer Pub - Queen Cover - Banda Los Kalas

Sudacas Bar - Sexta Tropical, DJ Alvaro

Sábado (19)

Zeppelin Old Bar - White Noise

Guns N’ Beer Pub - Charlie Brown Jr & Magnun Rock Machine

A Casa - A Banda Mais Bonita da Cidade

Casa Urbana - Iron Maiden & Whitesnake

Hell's Dogs Motorcycle Bar - October Hell´s 

Versão para impressão