ONU e Itaipu Binacional lançam a parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia

ONU e Itaipu Binacional lançam a parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia

18h15 - 07/03/2018


Luiz Fernando Vianna e James Spalding, entre Liu Zhenmin, subsecretário-geral da ONU para Assuntos Econômicos e Sociais, na assinatura do compromisso. Foto: Bill Blay

O Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais da Organização das Nações Unidas (Undesa) e a Itaipu Binacional lançaram, nesta quarta-feira (7), na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, a parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia. A iniciativa, prevista inicialmente para os próximos quatro anos, tem o objetivo de promover de forma coordenada os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) de números 6 e 7 (água e energia, respectivamente), que compõem a Agenda 2030.

Os diretores-geral de Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna (brasileiro) e James Spalding (paraguaio), participaram da solenidade ao lado de Liu Zhenmin, subsecretário-geral da ONU para Assuntos Econômicos e Sociais. O diretor de Coordenação de Itaipu, Newton Kaminski, também esteve no ato.

A parceria entre a Undesa e a Itaipu também visa se tornar uma rede global para tratar de temas relacionados ao nexo água-energia de forma sustentável, com um grande número de membros de todas as regiões, incluindo governos, empresas, sociedade civil e organizações internacionais. A meta principal é que essa aliança estabeleça uma plataforma para que partes interessadas de todo o mundo incrementem suas capacidades e sinalizem um compromisso de alto nível para a implementação dos ODS 6 e 7 de forma holística.


Segundo o UNDESA, a parceria trabalhará para promover a sustentabilidade da água e da energia a longo prazo, bem como para alcançar outros ODS. Foto: Bill Blay

A parceria Soluções Sustentáveis em Água e Energia pretende construir capacitações, diálogos e cooperação para promover o desenvolvimento sustentável. Também pretende identificar pontos-chave e oportunidades para integração, e trabalhar colaborativamente para direcionar ações para abordar esses temas, tais como o compartilhamento de boas práticas, capacitação e promoção de inovações específicas através de cooperação internacional.

“Sem integrar programas e sistemas sustentáveis de água e energia, não é possível erradicar a pobreza”, disse Liu Zhenmin, subsecretário-geral para Assuntos Econômicos e Sociais. “Estamos honrados por ter essa oportunidade de trabalhar com a Itaipu Binacional, que é um exemplo mundial de como dois países podem atuar juntos e em harmonia para prover energia limpa e confiável para seus cidadãos”, completou.

“Esta parceria entre Itaipu e a Undesa é muito mais do que uma parceria entre uma companhia de energia e uma organização da ONU. Itaipu, por si só, é uma parceria bem-sucedida entre dois países que uniram esforços para transformar as águas do Rio Paraná em energia. Então, vemos essa cooperação com a Undesa para a implementação dos ODS 6 e 7 como uma parceria que será igualmente bem-sucedida”, afirmou o diretor-geral brasileiro da Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna.

“Estamos muito satisfeitos com esta oportunidade de trabalhar com a Undesa para promover a Agenda 2030 e, neste caso, os ODS 6 e 7”, disse o diretor-geral paraguaio, James Spalding. “Itaipu não foca apenas a produção de energia limpa e renovável, mas tem um forte histórico de responsabilidade social corporativa e conservação ambiental. Estamos animados com esta parceria e não temos dúvidas de que ela trará resultados positivos concretos”.


A ideia é encontrar soluções para enfrentar globalmente os desafios energéticos e hídricos. Debate foi na sede da ONU. Foto: Daniel Vergara

Energia e água estão intrinsicamente conectadas e interdependentes: servem à agricultura, inclusive aos cultivos destinados a biocombustíveis. O crescimento populacional e econômico adiciona uma pressão crescente sobre água e energia, enquanto várias regiões do mundo já estão experimentando escassez de ambos. Hoje, 1,1 bilhão de pessoas não tem acesso a serviços de eletricidade, enquanto que o estresse hídrico afeta mais de dois bilhões de pessoas. Até 2035, o consumo de energia deve registrar um aumento 50%, o que deverá aumentar o consumo de água pelo setor energético em 85%.

A Agenda 2030 reconhece a centralidade destes recursos para o desenvolvimento sustentável e o papel vital que prover o acesso a eles desempenha na promoção de avanços em outras áreas, como saúde, educação e erradicação da pobreza. Uma abordagem integrada às interconexões entre água e energia pode aumentar a eficiência energética, diminuir a poluição aquática, reduzir custos e aumentar o acesso a serviços de eletricidade e saneamento, além de reduzir as emissões de gases de efeito estufa.

Apesar de esforços recentes, o nível de atenção global tem sido insuficiente para essa inter-relação água/energia. Embora os objetivos de desenvolvimento sustentável de energia e água já estejam definidos, ainda há necessidade de aproveitar o conhecimento, melhores práticas e pesquisas globais para apresentar uma mensagem coerente em apoio aos diálogos intergovernamentais. Com base em suas experiências de campo, as soluções sustentáveis da Undesa e da Itaipu Binacional dão um passo importante em ajudar a reduzir esse espaço entre empresas e setores para impulsionar ações importantes nessas áreas.

Versão para impressão