Diretor de Itaipu fala sobre modelo binacional em congresso de direito

Diretor de Itaipu fala sobre modelo binacional em congresso de direito

16h40 - 02/03/2018

À direita, Marcos Stamm fala em mesa formada também por Romeu Felipe Bacellar Filho, Luiz Cláudio Romanelli e Hugo Ramos.

O diretor financeiro executivo de Itaipu Binacional, Marcos Stamm, participou nesta sexta-feira (2), em Foz do Iguaçu (PR), do 8º Congresso da Associação de Direito Público do Mercosul e 7º Congresso Sulamericano de Direito Administrativo.

O evento foi aberto na quinta-feira (1º), segue até sábado (3) e tem o apoio de Itaipu. A organização é da Associação de Direito Público do Mercosul, do Instituto Paranaense de Direito Administrativo (IPDA) e do Instituto de Direito Romeu Felipe Bacellar.

Marcos Stamm foi um dos conferencistas em mesa coordenada pelo professor Romeu Felipe Bacellar Filho, professor de Direito da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Pontifícia Universidade Católica (PUC) e presidente do congresso. Ele falou sobre “Modelo Binacional de Itaipu”.

Público do congresso é formado por estudantes e profissionais de direito. Evento segue até sábado (3).

Também participaram da conferência o líder do governo do Paraná na Assembleia Legislativa, Luiz Cláudio Romanelli, que apresentou a palestra “Desafio da governança no Brasil – como sair da crise?”; e o professor de História da Universidad Nacional del Litoral (Argentina), Hugo Ramos, que falou sobre “Mercosul e outras organizações regionais”.

Marcos Stamm discorreu sobre a constituição de Itaipu, a partir de um tratado celebrado entre dois países (Brasil e Paraguai), em 1973, a sua natureza jurídica, e de como a empresa se tornou não apenas recordista mundial de produção de energia limpa como exemplo em ações de sustentabilidade.

O diretor financeiro de Itaipu falou sobre a constituição e a natureza jurídica da empresa - e sobre como ela se tornou líder e referência mundial.

O diretor também destacou o papel da Itaipu para impulsionar o desenvolvimento regional nos dois lados da fronteira. Desde 1985, quando começou a gerar energia, já foram repassados mais de US$ 10 bilhões em royalties ao Brasil e ao Paraguai. “Enfim, Itaipu é um caso de referência de integração entre países com grandes diferenças culturais e assimetrias econômicas.”

Neste ano, o tema do congresso é “A existência digna e a administração pública do século 21”. A homenageada do evento é a professora Irmgard Elena Lepenies.

Versão para impressão