Medicina do Trabalho alerta sobre vacinação contra febre amarela

Medicina do Trabalho alerta sobre vacinação contra febre amarela

08h00 - 25/01/2018

A Divisão de Medicina do Trabalho (RHSM.AD) e a Divisão Regional de Recursos Humanos de Curitiba (RHGR.AD) alertam os empregados sobre os cuidados para evitar a contaminação por febre amarela e a importância da vacinação. O Brasil está enfrentando um surto da doença desde 2016.  

Para lidar com o problema, o Ministério da Saúde está promovendo uma campanha de vacinação em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia (veja o mapa ao lado). Mesmo fora da principal área de risco, os paranaenses devem ficar atentos, especialmente quem está com viagem marcada – neste caso, a imunização deve ser feita dez dias antes da viagem. A região Sudeste é a que traz maiores preocupações.

Em Foz do Iguaçu, como boa parte do Paraná, a imunização já faz parte do calendário de vacinação de adultos e crianças. Por isso, a orientação é que aqueles que nunca se vacinaram contra a febre amarela recebam a vacina. Os empregados de Itaipu podem agendar a dose pelos ramais 6007 ou 5732. Outra possibilidade é receber a vacina em unidades básicas de saúde ou clínicas privadas.

Para os moradores de Curitiba, devem receber a vacina apenas pessoas que vão viajar para áreas de risco ou para países que exijam o Certificado Internacional de Vacinação ou Profilaxia. A dose da vacina está disponível em unidades básicas de saúde ou clínicas privadas.

Quem não for viajar não precisa se preocupar – Curitiba está fora do mapa de risco de contaminação e, por isso, é uma área sem recomendação para a vacina.

Quem deve e quem não deve ser vacinado

De acordo com o Ministério da Saúde, a população alvo da vacinação são crianças de 9 meses de idade até adultos com 59 anos. Pessoas com idade acima de 60 anos somente poderão ser vacinadas com liberação médica.

Não devem ser vacinadas pessoas com contraindicação para vacina, devido a alergia aos componentes, ou doenças e uso de medicações que contraindiquem a vacinação.

Você já recebeu a vacina?

O Ministério da Saúde orienta que a pessoa que já recebeu uma dose da vacina de febre amarela, ao longo da vida, é considerada vacinada e não necessita de doses de reforço.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um amplo estudo e constatou que mesmo pessoas vacinadas há mais de 10, 20 e até 30 anos, ainda estavam protegidas e não precisavam tomar outras doses de reforço.

Mas há uma exceção. Quem recebeu a dose fracionada da vacina, deve fazer reforço após oito anos, pois o prazo de validade é diferenciado.

Os doadores de sangue devem aguardar quatro semanas, após receber a vacina, para fazer nova doação.

Para saber mais

Clique nos links abaixo para saber mais sobre a Febre Amarela

http://portalms.saude.gov.br/saude-de-a-z/febre-amarela

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/pdf/2018/janeiro/10/09.01.2017.Campanha-Fracionamento-Febre-Amarela.pdf

http://portalarquivos2.saude.gov.br/images/listavacinacaofa.pdf

Versão para impressão