Ceará: capacidade eólica instalada avança 10,6%

Ceará: capacidade eólica instalada avança 10,6%

09h22 - 18/01/2018

A produção de energia eólica do Ceará em operação comercial no Sistema Interligado Nacional (SIN), entre janeiro e novembro do ano passado, cresceu 6,6% em comparação a igual período de 2016, atingindo 697,29 megawatts (MW) médios. Ao fim de novembro de 2017, o Estado chegou a 2.349,24 MW de capacidade instalada, avanço de 10,6% em relação a igual período do ano anterior.

Os dados, divulgados ontem, são da Câmara de Comercialização de energia elétrica (CCEE). Com isso, o Ceará permanece em terceiro lugar dentre os estados que mais geraram energia eólica de janeiro a novembro de 2017 e também entre os que atingiram as maiores capacidades instaladas do País.

> Fonte solar pode dobrar neste ano

A CCEE indica que o Rio Grande do Norte segue na liderança da produção eólica no País com 1.460,75 MW médios de energia no período, aumento de 22,6% na comparação anual. Em seguida, aparece a Bahia com 900 MW médios produzidos (29,3%). Atrás do Ceará, o terceiro colocado, figurou o Rio Grande do Sul com 625,94 MW médios (20%) e o Piauí com 528,07 MW médios (59,9%).

Os dados de novembro confirmam ainda o Rio Grande do Norte como o Estado a maior capacidade instalada, somando 3.495,25 MW, alta de 12,8% em relação a igual mês de 2016. Em seguida aparece a Bahia com 2.349,24 MW (34,2%). Após o Ceará, figuraram, mais uma vez, o Rio Grande do Sul com 1.777,87 MW (12,8%) e o Piauí com 1.443,10 MW (66%).

Oportunidade

A presidente executiva da ABEEólica, Elbia Gannoum, destaca que o Ceará tem a mesma competitividade que os demais situados no Nordeste em geração de energia eólica. Para que o Estado volte a atingir o topo dos rankings no setor, a presidente destaca que o governo estadual "em feito um trabalho muito importante para atrair muita fábricas. Agora, é só uma questão de oportunidade. Tem que haver mais leilões".

Segundo a CCEE, a produção de energia eólica do Brasil cresceu 27% de janeiro a novembro de 2017 em relação a igual período de 2016. As usinas movidas pela força do vento somaram 4.594 MW médios entregues ao longo dos 11 primeiros meses do ano passado frente aos 3.622 MW médios gerados no mesmo intervalo de 2016.

Representatividade

A representatividade da fonte eólica em relação a toda energia gerada no período pelas usinas do sistema no Brasil alcançou 7,4% em 2017. No final de novembro, havia 489 eólicas em operação comercial no Brasil que somavam 12.470 MW de capacidade instalada, aumento de 24% em um ano.

Fonte: Diário do Nordeste

Versão para impressão