PTI realiza 2º workshop de mobilidade urbana

PTI realiza 2º workshop de mobilidade urbana

09h18 - 18/01/2018

O Plano de Mobilidade Urbana de Foz do Iguaçu está sendo construído por meio de uma parceria da Prefeitura, do Parque Tecnológico Itaipu e várias instituições da cidade que têm um papel importante neste processo, entre elas Itaipu Binacional, Acifi, Copel, Sanepar, Codefoz, Idesf, Receita Federal, Rotary, ACCI, Unila, CREA, Foztrans e demais representantes da sociedade.

Nesta etapa, o PTI realizou o segundo workshop para construção do Plano que delimitará as diretrizes de mudanças a serem implementadas em mobilidade urbana em Foz do Iguaçu, pelo menos, para os próximos dez anos. Participaram, nesta quarta-feira (17) no auditório Mercosul do Parque Tecnológico Itaipu, um grupo formado por várias pessoas ligadas direta ou indiretamente com mobilidade na cidade. 

Segundo o gerente de Infraestrutura e Obras do PTI, área responsável pela elaboração do Plano de Mobilidade, Rudi Paetzold, o primeiro workshop foi reservado para a coleta de dados que serviram para um diagnóstico prévio das carências da cidade. Estes dados foram apresentados na primeira audiência pública, realizada no dia 08 de janeiro na Fundação Cultural. “Agora, nos reunimos novamente neste workshop para que as sugestões de propostas possam ser avaliadas na sequência e que irão nortear o que será composto do Plano Mobilidade de Foz. Por isso convidamos vários representantes, para eles expressarem seu ponto de vista e nos ajudar de uma maneira conjunta, assim acredito que teremos soluções criativas e reais sobre as necessidades do Município”, disse Paetzold.

Ainda segundo ele, próximo passo é reunir as sugestões, fazer uma  análise crítica e técnica e poder estruturar as ações de curto, médio e longo prazo, elaborando o relatório preliminar. “Esse relatório, já com as sugestões estudadas e propostas, será apresentado na segunda audiência pública reagendada para o dia 20 de fevereiro, contando desde já com a participação efetiva de toda sociedade. Também é importante frisar que este não é um Plano do PTI para Foz, e sim um Plano de Foz para Foz do Iguaçu. O PTI apenas está sendo um instrumento para a construção”.

Para a representante do CREA, coordenadora da Câmara de Engenharia Civil do Estado do Paraná, Célia da Rosa, este processo está sendo muito importante para Foz do Iguaçu, apesar do tempo curto em poder discutir a elaboração do Plano. “Considero a parceria da Prefeitura e do PTI muito importante, como também a participação de todos os organismos para ajudar a pensar aquilo que a cidade precisa melhorar e que bom termos o PTI para conduzir tudo isso. Vejo Foz do Iguaçu como uma cidade diferente pela tríplice fronteira e pelo turismo e por isso precisa ter uma mobilidade boa”, avalia.

A Prefeitura tem até abril deste ano para entregar ao Ministério das Cidades o Plano de Mobilidade Urbana que, por meio dele, permitirá o Município receber e captar recursos para investimentos em Mobilidade, calçadas, acessibilidade, ciclovias e pensando em um trânsito melhor, seja de pedestres, turistas, como motoristas e motociclistas, é o que definiu o Diretor de Gabinete da Prefeitura de Foz, Kalito Stoeckl. “Após as primeiras etapas já passamos a ver resultados de todo esse processo e isso é fundamental porque percebemos que os objetivos estão sendo cumpridos. Sabemos que ao assumir a nova gestão do Município este seria um grande desafio, pelo pouco tempo para se trabalhar a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana até a sua entrega final. Mas resolvemos assumir este compromisso pela cidade, junto com o PTI e com todos os demais atores envolvidos, pensando no melhor para Foz do Iguaçu”, enfatizou Stoeckl.

A próxima agenda de Mobilidade será no dia 20 de fevereiro, com a segunda audiência pública para apresentação das propostas e debate com participantes, ainda com local e horário a serem confirmados.

Fonte: PTI

Versão para impressão