Autoridades fazem visita técnica às instalações de centro de mobilidade

Autoridades fazem visita técnica às instalações de centro de mobilidade

19h16 - 22/11/2017


Diretores e representantes técnicos de empresas de energia e da área automotiva foram recebidos pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Vianna.

As futuras instalações do Centro de Inovação em Mobilidade Elétrica Sustentável (CI-MES) da Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR), foram apresentadas nesta quarta-feira (22) a diretores e representantes técnicos de empresas de energia e da área automotiva. O grupo foi recebido pelo diretor-geral brasileiro de Itaipu, Luiz Fernando Leone Vianna.

A nova estrutura, em frente ao Centro de Pesquisa, Desenvolvimento e Montagem de Veículos Elétricos (CPDM-VE), tem mais de 3 mil metros quadrados de área construída e conta com laboratórios, oficinas, ferramentaria e showroom, entre outros espaços.

Novo espaço tem mais de 3 mil metros quadrados de área construída e conta com vários laboratórios, oficinas e showroom.

O diretor geral de Itaipu, Luiz Fernando Vianna, lembrou que muitos países já estipularam data para o fim da produção de veículos a explosão e é inevitável que esse processo também chegue ao Brasil. “A importância desse centro é ajudar o País a cortar etapas, tanto na questão do carro em si, como na questão dos acumuladores. São projetos que serão úteis para a Itaipu e também para o Brasil”, afirmou.

A inauguração oficial do CI-MES, inicialmente marcada também para esta quarta-feira, foi remarcada para o dia 12 de janeiro. O adiamento ocorreu a pedido do ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que cancelou a vinda ao Paraná devido a alterações na agenda do ministério.

O chefe da Assessoria de Mobilidade Elétrica Sustentável de Itaipu, Celso Novais, explicou que o CI-MES vai complementar o trabalho desenvolvido atualmente no atual centro, no galpão G5 – que continuará dando suporte às atividades do setor.


Marcos Vitório Stamm, Celso Novais e Luiz Fernando Vianna no CI-MES, que será inaugurado em janeiro.

No novo espaço, porém, o foco será pesquisa e inovação, especialmente na área de armazenamento de energia. “Estamos ampliando a nossa missão. Aqui o ponto central não é a montagem de protótipos [de veículo elétrico], mas a exploração de tecnologias associadas”, disse.

Entre os projetos que serão desenvolvidos no centro de inovação estão a segunda geração da bateria de sódio com tecnologia nacional, em parceria com a Fundação Parque Tecnológico Itaipu (FPTI); sistemas inteligentes de armazenamento de energia, com aplicação em áreas isoladas; e soluções para gestão de energia e mobilidade.

“Em um dos laboratórios, pretendemos fazer a gestão remota e dar suporte técnico a todas as instalações de sistemas de armazenamento de energia que a Itaipu e o PTI mantêm em fora da usina”, disse – citando, como exemplo, a parceria para levar a tecnologia para postos avançados do Exército na Amazônia Legal.

“Se ocorrer uma falha em uma dessas instalações, ou uma tendência de falha, será dado um alerta e poderemos planejar o momento adequado para a intervenção, substituição ou reparo dos equipamentos”, antecipou.


Autoridades em visita às novas instalações.

Outra vantagem será fazer o monitoramento não apenas do serviço de compartilhamento de veículos elétricos (carsharing), já implantado na usina, como de toda a frota de Itaipu (incluindo os carros a combustão). Esse monitoramento permitirá ao setor de transportes conhecer rotas, horários, consumo e até a velocidade média dos veículos. “O sistema vai gerar relatórios que poderão orientar a área a melhorar e otimizar o uso da frota”, apontou Novais.

No caso da bateria, o engenheiro explicou que a nova fase do projeto será desenvolvida de 2017 a dezembro de 2019, com técnicos de Itaipu e do Parque Tecnológico Itaipu (PTI), e a expectativa é chegar a um produto de alta tecnologia com preço competitivo no mercado.

O chefe da AM.GB salientou que ambas as estruturas (CI-MES e o CPDM-VE) serão usadas de forma complementar e vão possibilitar a ampliação dos trabalhos do setor. Enquanto o novo galpão focará a pesquisa e a inovação, o G5 concentrará a parte dos grandes equipamentos – como o laboratório de solda, as máquinas de corte de precisão e o dinamômetro de rolo, usado no projeto do ônibus híbrido a etanol, desenvolvido em parceria com a Finep. “Não se faz ações de mobilidade sem a estrutura montada no G5”, reforçou.

Avaliação positiva

Rudimar Antonio Wobeto, da espanhola Ingeteam, elogiou a iniciativa de Itaipu.

Representantes de empresas que participaram da visita técnica concordam que o carro elétrico representa um caminho sem volta na mobilidade mundial e que os investimentos de Itaipu ajudam a posicionar o Brasil em condições semelhantes aos países mais desenvolvidos.

“Estamos tratando de tecnologias que provavelmente vamos ver como disruptivas”, disse o gerente da unidade de negócios da empresa espanhola Ingeteam, Rudimar Antonio Wobeto – que fornece eletrônica de potência para os sistema de armazenamento de energia no projeto desenvolvido em parceria com o Exército.

Carlos de Paula, relações governamentais da Renault do Brasil. "Esse espaço reforça a nossa parceria", afirma.

“Hoje, todos os carros têm que ter tecnologias novas, conectividade, e esse espaço criado pela Itaipu reforça a nossa parceria”, disse o relações governamentais da Renault do Brasil, Carlos de Paula. A empresa é uma das principais parceiras do Programa Veículo Elétrico de Itaipu.

Para o gerente de relações governamentais e sociais da BMW do Brasil, Amir Hamad, a experiência no exterior reforça o entendimento de que o futuro da mobilidade passa pelos carros elétricos. “O Brasil não pode deixar essa onda passar. E Itaipu, como grande piloto de um possível crescimento do Brasil, uma empresa de renomada tecnologia, tem que participar desses processos”, disse. “Por isso, esses investimentos são louváveis, essenciais, especialmente em momentos de crise”, completou.

Amir Hamad, gerente de relações governamentais e sociais da BMW: "O Brasil não pode deixar essa onda passar".

Versão para impressão