Prevenção ao câncer de próstata é tema da campanha Novembro Azul

Prevenção ao câncer de próstata é tema da campanha Novembro Azul

10h37 - 16/11/2017


Luiz Antonio Negrão Dias: prevenção é a melhor estratégia contra a mortalidade masculina pelo câncer de próstata.

Novembro é o mês de esclarecimento sobre o câncer de próstata. Nessa terça-feira (14), foi a vez dos colaboradores do escritório de Curitiba se reunirem no auditório térreo do Parigot de Souza para participarem de um bate-papo esclarecedor sobre o tema com o oncologista Luiz Antonio Negrão Dias, integrante do corpo clínico do Hospital Erasto Gaertner.

A palestra foi mais uma ação promovida pelo Reviver de Curitiba, com o apoio do Força Voluntária e da Responsabilidade Social, em alusão ao Novembro Azul, campanha que reforça com os homens a necessidade de cuidados com a saúde. "Tivemos a palestra sobre o Outubro Rosa, voltada aos esclarecimentos sobre o câncer de mama. Agora, foi a vez deles", disse a enfermeira Ana Simone Dernis, da Divisão Regional de Recursos Humanos de Curitiba (RHGR.AD).

O câncer de próstata é o segundo tipo de displasia que mais mata os homens, ficando atrás somente do câncer de pulmão. “As estatísticas  nos mostram um aumento na incidência (um em cada seis homens é alvo da doença) e, sobretudo, na mortalidade”, destaca o cancerologista.


O médico desmistificou os exames de prevenção à doença e explicou como surge o tumor.

O preconceito em relação ao exame de próstata ainda existe e pode ser prejudicial ao diagnóstico precoce. Mas, na avaliação do oncologista, “esse tabu aos poucos vem sendo quebrado graças ao apoio incondicional das mulheres – que fazem a lição de casa quanto à prevenção e ainda ajudam os homens”, completa.  

Segundo o médico, se o tumor é detectado na fase inicial - considerado o grau mais curativo - a chance de cura chega a 97%. Quando detectado na fase mais avançada, em que a doença já tem metástase, a taxa não ultrapassa 30%. “A gente não pode esperar o doente de câncer ter sintomas para identificar a doença”, afirma.

Na palestra, o cancerologista foi enfático ao afirmar que na fase inicial a doença é silenciosa. Este é o motivo pelo qual ele recomenda o exame periódico de sangue (PSA) e o toque retal para chegar a um diagnóstico com sensibilidade de aproximadamente 90%.

“O PSA não elimina o teste físico. Os dois exames, quando juntos, aumentam a sensibilidade e a especificidade para o diagnóstico", acrescenta.

Os colegas aproveitaram a palestra para esclarecer dúvidas e foram unânimes ao afirmar que a iniciativa estimula a prevenção.

“Desinformação e preconceito são fatores determinantes para comprometer a saúde do homem. Quando se tem acesso à informação técnica, em um bate-papo como este, acredito que não há preconceito que resista”, analisou Eduardo Guerra, da Superintendência de Compras (COCA.DF).


Eduardo Guerra, da COCA.DF: informação combate o preconceito.

Para o analista de sistemas, Cícero Antonio Miller Santos, da Divisão de Sistemas I (SID1.GG), o preconceito não deve ser maior do que o receio de perder a vida para um câncer. Para ele, já houve mudanças dos homens em relação às atitudes machistas que os impedem, por exemplo, de adotar práticas preventivas da doença. “Conversas abertas com profissionais da saúde servem para abrir ainda mais a mentalidade masculina sobre fatores de risco e prevenção”.

Para o colega Aguinaldo Bernardes (SID1.GG), o exame periódico de Itaipu é um benefício para os homens, mais resistentes às atitudes preventivas relacionadas à saúde. “No periódico, às vezes é possível detectar precocemente algum tipo de problema. Quisera outras empresas também adotassem essa prática”, conclui.

Sobre o Câncer de Próstata

A próstata é uma glândula no aparelho reprodutor masculino com a função principal de produzir o esperma. O câncer de próstata é quando as células desse órgão começam a se multiplicar de forma desordenada.

Os homens devem começar a monitorar a próstata a partir dos 50 anos. Pessoas com histórico familiar ou homens negros devem começar a partir dos 40/45 anos. Incontinência urinária e impotência podem ser alguns dos efeitos colaterais do câncer de próstata. Entretanto, os dois casos são tratáveis.

Prevenção


Homens e mulheres participaram da palestra no Parigot de Souza, na terça-feira (14).

Não existe uma forma de se tornar imune à doença. Por este motivo, os exames de sangue e toque periódicos são tão importantes, porque possibilitam o diagnóstico precoce e o tratamento efetivo – além de menos invasivo – aumentando as chances de cura dos pacientes.

Alguns hábitos diminuem os riscos da doença. Uma dieta saudável, rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais, é um deles. Outro é evitar gorduras, principalmente de origem animal.

Na lista de atitudes preventivas estão, ainda, a prática de atividade física (ao menos 30 minutos, de três a cinco vezes por semana), o controle de peso, mantendo-o adequado para o seu corpo, a redução do consumo de álcool e não fumar, a mais importante, segundo o médico. “Essa é a principal regra para evitar qualquer tipo de câncer”, aconselha.

O JIE Publicou

Palestra reforça prevenção e desmistifica questões sobre o câncer de mama
 

Versão para impressão