Projeto de atualização tecnológica de Itaipu é apresentado no 24º SNPTEE

Projeto de atualização tecnológica de Itaipu é apresentado no 24º SNPTEE

15h14 - 26/10/2017


Apresentação, conduzida por Jorge Habib, é mais uma etapa do processo de transparência de Itaipu no projeto.

A atualização tecnológica de Itaipu foi um dos destaques da programação do 24º Seminário Nacional de Produção e Transmissão de Energia Elétrica (SNPTEE), o maior evento do setor elétrico, que terminou nessa quarta-feira (25) em Curitiba, com quase 3 mil participantes.

O painel Gestão de renovação de ativos de grande porte do setor de energia elétrica: projeto de atualização e modernização da usina hidroelétrica de Itaipu apresentou o tema para quase 50 participantes do seminário. A palestra foi feita pelo superintendente adjunto de Engenharia da binacional, Jorge Habib Hanna El Khouri, na tarde de quarta-feira.

“Estar aqui no SNPTEE reforça a estratégia da Itaipu de levar para o mercado o máximo de conhecimento sobre o projeto, para que as empresas tenham a melhor base para formatar propostas com o mínimo de risco possível”, afirmou o superintendente.

A atualização tecnológica deve receber investimento na ordem de US$ 500 milhões, com prazo previsto para a execução estimado em dez anos (no caso de modernização de duas unidades geradoras por ano).


Estratégia correta não deixará Itaipu cair na obsolescência, mais adiante.

Segundo Habib, o mercado tem se mostrado bastante interessado, o que deve ser positivo em termos de competição e melhores propostas. A Itaipu tem investido na divulgação do projeto para coletar as contribuições do mercado, que poderão subsidiar os requisitos do edital. No início do mês, a binacional reuniu na usina 40 empresas em um workshop para falar sobre a arquitetura e o processo licitatório. A documentação deve ser concluída até o final deste ano e o lançamento da licitação está previsto para o início de 2018.

O foco principal do projeto é assegurar a continuidade das marcas superadas pela usina, manter o nível de produção e a qualidade dos serviços. “O objetivo é fazer no tempo certo e com a estratégia correta, a fim de não corremos o risco de cair na obsolescência”, justificou. “Estamos, de forma planejada, redesenhando a arquitetura de uma nova usina digital, com uma  tecnologia moderna, substituindo a tecnologia original, dos anos de 1970, para que a usina prossiga entregando energia para o Brasil e o Paraguai com o mesmo desempenho de hoje”, completou Habib.


Celso Torino: atualização tecnológica será feita com usina "em pleno voo".

Na avaliação do superintendente de Operação de Itaipu, Celso Torino, é possível compreender a complexidade do projeto se imaginarmos a usina como um avião que precisa passar por uma atualização tecnológica em pleno voo. Assim como o avião não pode ser pousado para os reparos, a hidrelétrica também continuará abastecendo o Brasil e Paraguai durante a execução do projeto. “Estamos concentrando esforços para desenhar um plano de impacto zero”, afirmou.

O projeto


Workshop, no início do mês, apresentou proposta aos fornecedores.

A proposta prevê um novo desenho para a central, com uma rede integrando vários equipamentos digitais que substituirão equipamentos eletroeletrônicos e analógicos originais. O foco principal são as funções de controle, regulação, excitação, proteção, supervisão e monitoramento de equipamentos e sistemas pertencentes às unidades geradoras.

Também serão contemplados serviços auxiliares, controle centralizado, equipamentos da barragem, equipamentos do vertedouro, subestação isolada a gás e a subestação da margem direita. Não estão incluídos no projeto grandes equipamentos, como geradores, turbinas, comportas, transformadores principais ou equipamentos de alta tensão em geral.

Versão para impressão