Hoje tem mais uma superpromoção

Hoje tem mais uma superpromoção

14h22 - 09/10/2007


Palestra imperdível

    

      

Você não pode perder a palestra “Descobrindo o Segredo de quem somos”,  com Mohamad  Bazzi, neurocientista e estudioso em medicina do comportamento do Departamento de Psicobiologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A palestra será realizada no próximo dia 16. O local do evento ainda não foi definido. O convite custa R$ 70 e o pagamento pode ser parcelado em até três vezes. 
    

Para assistir na faixa
E, claro, nós conseguimos 5 convites para serem sorteados entre nossos leitores e leitoras. Para participar, basta responder, no endereço imprensa@itaipu.gov,br qual o nome do livro e do filme mais comentados dos últimos meses. O sorteio será realizado na segunda-feira.

      

Festa da Fibra em Foz
     
Como você já sabe, a Festa da Fibra, este ano, será em Foz. E a data, o local e o horário já foram agendados: 24 de novembro, no Rafain Palace Hotel, a partir das 19h. Por isso não deixe para a última hora. O jantar será por adesão e custa R$ 33 por pessoa, mais um quilo de alimentos não perecíveis ou produtos de higiene pessoal. A grande atração será o cantor Agnaldo Rayol. Em Foz, a confirmação pode ser feita com Dulce, Rosângela ou Erna. Em Curitiba, com Saulo/Ódeli até o dia 31. O cheque será descontado no dia 23 de novembro. No valor estão incluídos aperitivos do coquetel e o jantar com direito a água, refrigerante e cerveja.

     

Dicas culturais

Com a proximidade do feriado, a programação cultural começa mais cedo. Hoje, às 20h30,  será aberta na Fundação Cultural a Exposição Itinerante Arquitetos de Foz. Vale a pena conferir.
    


    


Otimismo e superação


Essa poderia ser apenas uma história triste. Mas, graças a uma boa dose de determinação e coragem da personagem principal,  tomou um rumo bem diferente.
       
    
A colega Vânia Correa, que trabalha na Diretoria Financeira, em Curitiba, é um exemplo de que a força de vontade e o otimismo são capazes de superar até o mais improvável revés.
    

Vânia entrou na Itaipu, como terceirizada, em 1988. Vinda de uma cidade pequena – Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul -, ela conta que se maravilhou com o que conheceu em Curitiba. Tanto na cidade como no Escritório de Itaipu, achava as pessoas lindas, elegantes. 
     


Vânia com a filha, Ana Cristina.
   

Em 1994, transferida para Foz do Iguaçu, teve a oportunidade de fazer amigos também na fronteira. Mas ela sonhava em voltar a Curitiba. Sonho que conseguiu realizar no ano passado. Não contava, no entanto, com o inesperado: foi vítima de um acidente justamente quando viajava de Foz do Iguaçu de volta para a capital. 
    

 


O acidente foi muito grave. Ela ficou presa nas ferragens e acreditou que não conseguiria escapar com vida.

       























     

Vânia com o filho, Antônio Augusto.
    


    

Ela teve que ser submetida a duas cirurgias na coluna e sentiu seu organismo entrar em colapso. Perdeu o controle dos braços e das pernas e até de suas funções básicas, passando a depender de outras pessoas para tudo, até se alimentar e escovar os dentes. 

Mas nem por isso perdeu o bom humor ou se desesperou. Fez disso um aprendizado. "Vi o quanto o ser humano é frágil. E pensei sobre o que realmente vale na vida: o amor, o respeito, a honestidade", filosofa.
    

Foram 14 meses para se recuperar.  “Quase pirei, mas a vontade de viver fez com que eu me arrumasse todos os dias como se estivesse indo ao trabalho”, lembra. E, como tempo era o que tinha de sobra, aproveitou para reformar o apartamento onde mora. 
    


A certeza de que estava “viva” só teve mesmo quando ouviu o dr. Moacir Pires Ramos dizer que a volta ao trabalho só dependia do interesse dela, e que em Itaipu estava tudo pronto para recebê-la.
    


E Vânia voltou para o convívio dos colegas, com a certeza de que valeu a pena ter lutado. Ela diz que aprendeu que a felicidade é uma conquista de todos os dias, e se revela nas coisas básicas, como poder andar, falar, respirar, viver... e amar. 
         

O amor, aliás, também faz parte de sua nova rotina. Quando ainda se recuperava do acidente,  viajou a Campo Grande (MS) para visitar sua família e lá reencontrou o primeiro amor... O relacionamento, diz, vai bem, obrigada. 
    


Os outros amores de Vânia são os filhos Ana Cristina, hoje com 23 anos, que cursa Direito em Francisco Beltrão, e Antônio Augusto, de 13 anos.

Vânia se considera uma pessoa feliz. O acidente quase fatal fez dela uma pessoa mais forte, corajosa e otimista. "Todos os dias agradeço a Deus por ter um objetivo para levantar todas as manhãs. Viver vale muito a pena", diz.

 

      

 

Versão para impressão