Gazeta Mercantil

Gazeta Mercantil

09h41 - 02/10/2007

Comum neste período do ano, a estiagem não comprometeu o volume de armazenamento das principais hidrelétricas do País, conforme os números do Operador Nacional do Sistema (ONS) referentes ao último boletim, do dia 30 de setembro.

          
Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, os reservatórios atingem o volume de 62,1% e a curva de aversão ao risco é de 42,1%. Nestas regiões, a frente fria que chegou no final de semana provocou chuvas em pontos isolados nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. Esta semana o tempo se mantém úmido na faixa leste de São Paulo. Já no Espírito Santo, há previsão de chuva para o fim de semana afirma Marcelo Pinheiro, da Climatempo.

          
No Centro-Oeste, mais precisamente Brasília, houve uma melhora na temperatura e na umidade relativa do ar, depois de 120 dias sem chuva. A usina Corumbá I opera com 51,68% da capacidade armazenada.

          
Na região Sul, os reservatórios atingem 61,7% nos níveis de armazenamento, e a curva de aversão ao risco está em 48,7%. Pela região, depois de muita chuva, o ar seco deve predominar e o tempo deverá permanecer aberto. A hidrelétrica Machadinho opera com 83,5% de capacidade armazenada. O índice está 48,7% acima da curva de aversão.

              
No Norte Interligado, o nível dos reservatórios chega 45,9%. A hidrelétrica de Tucuruí trabalha com 33,89% de capacidade armazenada, de acordo com informações do ONS.

          
Já os reservatórios da região Nordeste registram 53,6% de volume armazenado. O índice está 35,6% acima da curva de aversão e a usina de Sobradinho opera com 42,86% de armazenamento.

           
Uma frente fria no sul da Bahia provoca pancadas de chuva, isso deverá amenizar a estiagem que atinge a região.

          
Já o preço do megawatt hora (MWh) caiu em todas as regiões, conforme boletim da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), para a semana de 29 de setembro a 5 de outubro.

     
Para a carga leve o recuou foi de 11,2% e o da carga pesada, 10,9%, esse comportamento foi registrado em todos os submercados. Os preços ficaram assim: as cargas pesada e média ficaram em R$ 168,46 e a leve em R$ 165,13.

Versão para impressão