Enigma desvendado: é um rádio antigo

Enigma desvendado: é um rádio antigo

08h27 - 11/09/2007


Parabéns para quem matou a charada: é mesmo um rádio, mas não um simples rádio. É mais: é uma verdadeira relíquia. Dois colegas desvendaram o enigma: Oswaldo Schiochet Júnior e Ricardo Pires. Como prêmio, os dois vão ganhar um kit completo da Imprensa.
      


    

Sobre o aparelho
O aparelho está na usina desde 1988, e já passou por toda Divisão de Serviços Gerais. Marcos Antônio Bandeira Ribeiro acabou deixando o “antigo companheiro de trabalho”  na área de Apoio a Viagens, quando foi transferido para a Jurídica.
E foi na reestruturação da antiga área, que a colega Laura Ligia Bruno Lopes achou o rádio. E as lembranças vieram automaticamente. No começo, lembra Laura Lígia, quando Marcos levou o aparelho para a usina, ele conseguia sintonizar apenas emissoras de rádios paraguaias. E o colega vivia repetindo: para o amigo Júlio Miranda: está na hora de treinar mais a língua espanhola”.

Despertador maluco
Mas o rádio tinha ainda outra função. O aparelho  passou a ser usado como despertador. Logo depois do horário de almoço, era sempre a mesma coisa: o rádio despertava, e ninguém – a não ser Marcos – sabia programá-lo. Quando Marcos não estava, o rádio fica apitando o tempo todo naquele horário. 

 
   

Nos fins-de-semana a porta ficava trancada, e na 
segunda-feira havia ocorrência da segurança. “Ninguém sabia reprogramar o rádio, então nós o trancávamos em uma sala para não incomodar tanto”, lembra Laura.
    

O aparelho, apesar de antigo, e não ter mais a cor original – bege–, funciona até hoje, assim como suas antenas que antigamente eram pregadas na parede com durex. “É uma relíquia que merece ser considerada um bem patrimonial”,  brinca Laura.

Animação: Alexandre Marchetti


 

Versão para impressão