PTI já tem laboratório para conservar energia

PTI já tem laboratório para conservar energia

09h42 - 03/09/2007

Já está funcionando no Parque Tecnológico Itaipu (PTI) um laboratório especializado em tecnologias voltadas ao uso racional de energia. A iniciativa faz parte do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), do governo federal.
   

Segundo o professor Roberto Lotero, responsável pelo projeto, uma das principais barreiras encontradas pelo Procel, no país, está na falta de mão-de-obra capacitada para trabalhar em projetos de conservação. E o PTI vai atacar exatamente esse ponto.
    

O laboratório é resultado de um convênio com a Eletrobrás (R$ 300 mil para a compra de equipamentos) e com a Itaipu (R$ 142 mil para bolsas de estudo, diagnóstico e comunicação e marketing). A Fundação Itai vai responder pela gestão de recursos e o PTI fornece a infra-estrutura. 
     

O foco do projeto está no desenvolvimento de projetos de conservação para prédios públicos. 
"A região de fronteira tem uma grande concentração desses prédios, pela presença da Receita Federal, da Polícia Federal, escolas municipais e estaduais, e da própria Itaipu. Foi isso que despertou o interesse do Procel", conta Lotero.
     

O laboratório vai contar com 15 alunos bolsistas dos cursos de Engenharia Elétrica e Engenharia Mecânica da Unioeste. Além do ensino superior, haverá cursos de extensão (voltados à comunidade em geral) e prestação de serviços como laboratório certificador filiado ao Inmetro. 
"A idéia é ter um centro de excelência em conservação de energia, voltado à formação de mão-de-obra, a projetos que aumentem a produtividade do sistema elétrico, à elaboração de políticas públicas de uso racional de energia e ao apoio à inserção de fontes alternativas", diz Lotero.
     

A título de experiência, o PTI já desenvolveu projetos de conservação de energia para a escola municipal João da Costa Viana, localizada no bairro Três Lagoas, e para o Hotel Bourbon Golf Club. Agora, a idéia é fazer o mesmo no Hospital Costa Cavalcanti.

Versão para impressão