Dôra: mãe generosa

Dôra: mãe generosa

15h23 - 24/08/2007

        
Nesses quatro anos de trabalho na Itaipu, três como assistente do Diretor-Geral Brasileiro e um ano na chefia da Comunicação Social, tive o privilégio de conviver com pessoas sensacionais, cada uma com seu estilo, suas peculiaridades. Mas poucas com personalidade tão marcante como Maria Auxiliadora Alves dos Santos – a Dôra.

Ela transborda emoção em tudo o que faz. Dôra tem um coração que não cabe dentro de si, pois é muito maior do que ela. Está sempre disposta a doar-se pelos colegas, pela empresa. Cuida de sua equipe como uma mãe que cuida dos seus filhos recém-nascidos. 

É por isso que é considerada a mãezona generosa e protetora da Comunicação Social. Daquelas que, com o mesmo carinho que distribuem elogios, reagem com broncas diante de qualquer ameaça contra si mesma ou aos seus protegidos.

Basta um estagiário ou uma estagiária desempenhar bem suas funções que Dôra já quer dar um jeitinho de mantê-los na equipe, de preferência – e se possível – com crachá vermelho. Porque Dora envolve-se e deixa-se envolver.

Profissional dedicada e centralizadora, zela pela imagem da Itaipu como quem zela pela boa imagem de uma família. Itaipu é a sua grande família.

Dôra é assim. Toda emoção e toda ternura. Se Itaipu é uma verdadeira mãe para os seus empregados e colaboradores, como costumam falar por aí, o que dizer, então, de Dôra para a Comunicação Social?

Com o seu desligamento pelo PDI, vamos nos sentir um tanto órfãos, como aqueles filhos que, ao livrarem-se da saia aconchegante de suas mães, libertos para as aventuras e os desafios do mundo, sentem-se meio inseguros, indefesos, mesmo sabendo que a vida estará lhes abrindo uma grande janela de oportunidades.

Vamos sentir falta daquele olhar e daquela atenção, quase que maternais, que nos acompanham, cuidadosamente, no dia-a-dia, há muitos e muitos anos. Vamos sentir falta de Dôra e seu coração gigante.

 

Gilmar Piolla
Chefe da Assessoria de Comunicação Social

Versão para impressão