Notícias de Itaipu
Itaipu espera receber sete mil visitantes no feriadão de Tiradentes
17/04/2015 | 14h46


Barrageiro - Homem de aço, uma das atrações do CTI, no Mirante Central.
  
O Complexo Turístico Itaipu (CTI) prevê a visitação de sete mil turistas à hidrelétrica nos quatro dias do feriado prolongado de Tiradentes, entre sábado (18) e terça-feira (21). Os dias com maior concentração de visitantes devem ser o domingo (19) e a segunda-feira (20). O CTI preparou um esquema especial de atender a demanda.
     
O Circuito Especial terá dois horários extras de passeios, às 9h30 e 15h30. O número de ônibus também será ampliado. Para atender os visitantes, o Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho promoverá sessões na segunda-feira (10h e 16h), dia em que normalmente o espaço está fechado.
    
As previsões para Itaipu são baseadas nas visitas esperadas pelo Parque Nacional do Iguaçu (PNI). A expectativa é que 20 mil pessoas visitem as Cataratas do Iguaçu, entre os dias 18 e 21 de abril. No domingo (19), para receber os turistas o parque abre uma hora mais cedo, às 8h. Nos outros dias, o horário de funcionamento será das 9h às 17h.
    
Segundo o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Foz do Iguaçu (Sindhotéis), Carlos Silva, até quinta-feira (16) a ocupação dos leitos já era de 70%. “A expectativa para o feriadão é chegar a 85% dos quartos ocupados nos hotéis da cidade”, afirmou Silva.
   
Mais informações e reservas sobre os passeios em Itaipu, o contato é pelo telefone 0800 645 4645 ou pelo site www.turismoitaipu.com.br.

  


Mirante do Vertedouro, uma das principais paradas dos turistas na usina.


CIH fará sistema de alcance global
17/04/2015 | 11h37


Reunião de alinhamento para desenvolvimento da Plataforma de Ecohidrologia para o PHI-Unesco. Na foto, da direita para esquerda, Marcelo Gaviño, coordenador do programa de Ecohidrologia do PHI-UNESCO para América Latina; Giussepe Arduino, coordenador do Ecohidrologia do PHI-Unesco; Rafael González, gerente do CIH; e Willbur Souza, analista de comunicação do CIH.
  
As iniciativas de ecohidrologia realizadas pelo Programa Hidrológico Internacional (PHI) da Unesco (PHI-UNESCO) foram apresentadas em uma das sessões do 7º Fórum Mundial da Água, que acontece na Coreia do Sul até esta sexta-feira (17).
   
Durante o encontro, o Centro Internacional de Hidroinformática (CIH) – instalado no Parque Tecnológico Itaipu (PTI) – foi oficialmente convidado a ser um importante parceiro estratégico das ações do PHI. A atuação do centro será no desenvolvimento de um sistema de gestão das informações de ações de ecohidrologia promovidas pelo mundo.
  
De acordo com Giussepe Arduino, coordenador das ações de Ecohidrologia no PHI-Unesco, a ideia do sistema surgiu após a decisão da equipe técnica composta por especialistas no assunto de todo o planeta. “Com a ferramenta iremos reunir, em um só local, informações das diversas práticas de ecohidrologia que vêm sendo realizadas no mundo, permitindo uma análise técnica de cada iniciativa”, comentou.
   
Arduino também destacou a importância da parceria com o CIH como desenvolvedor da plataforma. “O CIH é um centro de categoria 2, que está sob os auspícios do PHI-Unesco. Mas, mais do que isso, o centro possui muitos projetos e produtos desenvolvidos de forma similar, que certificam a experiência deles”, afirmou.
   


Reunião da equipe técnica do programa de Ecohidrologia do Programa Hidrológico Internacional da Unesco, que está definindo os critérios técnicos para inclusão das práticas na plataforma.

  
Para Blanca Jimenez-Cisneros, diretora da Divisão de Águas e secretária do PHI-Unesco, as ações de ecohidrologia estão ganhando ainda mais destaque com o fortalecimento dos centros e das cátedras espalhadas pelo mundo. “Os centros e as cátedras têm papel fundamental, porque dão todo o suporte ao PHI-Unesco, além de desenvolver e incentivar a realização de ações em prol da gestão sustentável dos recursos hídricos”, disse.
  
Ecohidrologia é a ciência que estuda a integração entre a água e o conjunto de organismos de um habitat particular para encontrar soluções diante dos problemas existentes dentro de um ecossistema. O tema é uma das seis áreas temáticas presentes no Planejamento Estratégico da oitava fase do PHI-Unesco, que define as ações a serem executadas até 2021.
 
A Plataforma de Ecohidrologia, já em desenvolvimento pelo CIH, será lançada oficialmente pelo PHI-Unesco durante a Conferência Mundial de Ecohidrologia, que será realizada no mês de setembro, em Lyon.


Terceirização pode atingir principalmente as mulheres. Tema entra na pauta da equidade
16/04/2015 | 16h01

Gleide Brito, coordenadora de Gênero da Eletrobras Eletronorte, anfitriã do encontro.
  
Se for aprovado pela Câmara Federal, o projeto de lei 4.330, que regulamenta a terceirização no mercado de trabalho, deverá atingir principalmente os setores mais vulneráveis da sociedade, entre os quais se incluem as mulheres e os negros. A avaliação é feita pela coordenadora de Estudos e Desenvolvimento do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), Ana Yara Paulino.
  
A pesquisadora participou do painel “Desigualdade de gênero: caminhos possíveis para a superação”, do 3º Seminário Políticas de ações afirmativas: mulheres no mercado de trabalho no século XXI. O seminário faz parte do 5º Ciclo de Encontros Regionais para o Fortalecimento da Equidade de Gênero e Raça no Mundo do Trabalho, sediado pela Eletrobras Eletronorte, em Cuiabá (MT). O evento começou na quarta-feira (15), e prossegue nesta quinta-feira (16), com oficinas temáticas.
   
A Itaipu é uma das empresas integrantes do ciclo, que tem como objetivo promover um debate sobre políticas de ações afirmativas para a superação das desigualdades no mundo do trabalho. Ações afirmativas são um conjunto de medidas especiais voltadas a grupos discriminados.
  
Segundo Ana Yara, a aprovação tornará a nova lei irreversível. Por isso, a sociedade, de uma forma organizada, tem que se unir para acompanhar as emendas ao projeto. Segundo ela, “além da precarização dos empregos, o outro problema que a lei trará para os trabalhadores terceirizados é que eles não terão uma representação sindical legítima”.
  


Maria Helena Guarezi, da Itaipu: diagnóstico ainda é desfavorável, mas houve melhoras.

   
Para continuar a leitura, clique em Leia Mais.


FAO entrega Prêmio Agricultura Familiar de Jornalismo nesta sexta (17)
16/04/2015 | 15h25

A FAO entregará, nesta sexta-feira (17), no Mercado Municipal de Curitiba, os prêmios e menções honrosas aos finalistas do 1º Prêmio da Agricultura Familiar de Jornalismo. A entrega será feita durante um café da manhã com produtos da agricultura familiar. A iniciativa tem o apoio da Itaipu Binacional.
    

    

“Estamos encerrando este 1º Prêmio Agricultura Familiar de Jornalismo com uma avaliação das melhores possíveis”, conta Carlos Biasi, oficial da Unidade de Coordenação de Projetos da ONU/FAO no Sul do Brasil. “Instituímos um prêmio que recebeu o maior número de inscrições – 189, em nível de Brasil para prêmios voltados para a agricultura e que mobilizou e envolveu instituições governamentais e não governamentais, de cooperativas a sindicatos de categorias não necessariamente envolvidas com a agricultura familiar, comprovando que a agricultura familiar é fundamental para o país”, revela Biasi.
    

O oficial da FAO destaca ainda a qualidade e a diversidade dos trabalhados apresentados por profissionais, representantes da maioria das mídias jornalísticas da região Sul: “As notas conferidas pela comissão julgadora aos trabalhos foram muito próximas, com milésimos de diferença, o que nos levou a instituir também menções honrosas”.
    

Segundo Mario Luiz Milani, oficial em comunicação da FAO e coordenador do prêmio, “os trabalhos inscritos falam da riqueza, da diversidade da agricultura familiar e seu grande potencial produtivo de alimento saudável, contribuindo para o desenvolvimento humano, garantindo segurança alimentar das populações urbanas e rurais. O prêmio reverencia dois sonhadores: um que produz o alimento vital para nossas comunidades; e outro, que retrata com sensibilidade a vida da família que vive e trabalha na terra”.
    

Os prêmios e menções serão entregues no próximo dia 17, a partir das 8h30, no auditório do Setor de Orgânicos do Mercado Municipal de Curitiba. Já confirmaram presença Alan Bojanic, representante da FAO no Brasil, Onaur Ruano, secretário de Agricultura Familiar do MDA, Norberto Ortigara, secretário de Agricultura e Abastecimento do Paraná, Airton Spies, secretário adjunto da Agricultura e da Pesca de Santa Catarina, Renato Viana, diretor do BRDE em Santa Catarina, Jorge Miguel Samek, presidente da Itaipu Binacional, Cristina Yared, deputada pelo Paraná, entre outras autoridades e convidados.
    

Finalistas
    

Os vencedores em ordem alfabética: Alessandra Ogeda (Florianópolis/SC - Jornal "Noticias do Dia"), Cíntia Patrícia Junges (Curitiba/PR – Gazeta do Povo), Clarinha Glock (Porto Alegre/RS – Extra Classe), Ermilo Guilherme Drews Neto (Novo Hamburgo/RS – Jornal NH), Jessica Carolina Moreira (Cascavel/PR – TV Tarobá), Jucinei Cardoso (Florianópolis/SC – TV Assembléia/SC), Leandro Mariani Mittmann (Porto Alegre/RS – A Granja), Maristani Weiand (Porto Alegre/RS –Grupo RBS) e Ricardo Rossi (Curitiba/PR Revista Cooperativismo).
      

Considerando a boa qualidade dos trabalhos apresentados,  a Unidade de Coordenação da FAO Região Sul do Brasil fará a entrega de Certificados de Menção Honrosa aos jornalistas Adriana Justi da Silva (Curitiba/PR – G1 Globo), Carlos Guimarães Filho (Curitiba/PR - Gazeta do Povo), Cinthia Andruchak Freitas (Florianópolis/SC – Epagri), Eduardo Caspary Schiefelbein (Porto Alegre/RS - SDR), Julia Otero (Pelotas/RS – Radio Gaucha), Luciany dos Santos Franco (Marechal Candido Rondon/PR  - O Presente), Mauricio Rebellato (Santa Rosa-RS, RBS TV), Rejane Castilho V. da Costa (Porto Alegre/RS – Radio Gaucha), Ricardo Luiz Düren (Santa Cruz do Sul/RS – Gazeta do Sul) e Talita Amaral (Maringá/PR – Rede Massa/TV Tibagi).

      

Serviço

1º Prêmio Agricultura Familiar de Jornalismo – Região Sul do Brasil

Divulgação dos Vencedores

17 de abril, 8h30

No Auditório do Mercado Municipal de Curitiba

 


Colega será destaque em congresso da IHA, em Pequim
16/04/2015 | 15h22

O boletim da 5ª edição do Congresso Mundial de Hidreletricidade, enviado nesta quarta-feira (15), destacou a participação do veterinário Domingo Rodriguez Fernandez, da Divisão de Reservatório (MARR.CD), como um dos palestrantes do evento. No e-mail, há um link que direciona a uma entrevista em vídeo com Fernandez, a respeito do Canal da Piracema.
    
Segundo o texto do site, “neste vídeo, Domingo Fernandez Rodriguez, especialista em peixes da Itaipu Binacional, fala sobre a abordagem da migração dos peixes em Itaipu. Domingo falará em uma sessão sobre a conectividade para as espécies aquáticas durante o Congresso, realizado em parceria com o WWF”.
     
Organizado pela Associação Internacional de Hidreletricidade (
IHA - International Hydropower Association), o evento será realizado de 19 a 21 de maio de 2015, em Pequim, China. São esperadas mais de mil pessoas nesta próxima edição do evento. Mais informações e inscrições no site oficial.
     
A IHA é uma entidade não governamental que atua no estudo da hidreletricidade em todas as suas dimensões e também na divulgação de resultados desses estudos. A ideia é promover a hidreletricidade como fonte de energia sustentável para a sociedade e o meio ambiente.
Itaipu ajuda a manter em Foz do Iguaçu o Escritório da IHA para a América do Sul. O escritório em Foz é o primeiro da organização no continente.


Conselho Mundial da Água defende Itaipu entre as líderes do próximo Fórum
16/04/2015 | 09h55

Benedito Braga: Itaipu está na vanguarda das ações em benefício da proteção dos recursos hídricos. Foto: Conselho Mundial da Água

 

O presidente do World Water Council (WWC), o Conselho Mundial da Água, Benedito Braga, defendeu Itaipu como uma das protagonistas na próxima edição do Fórum Mundial da Água (WWF8), que ocorrerá em Brasília, em 2018. A declaração foi feita aos diretores de Coordenação de Itaipu nessa quinta-feira (15), durante a sétima edição do evento em Daegu, na Coreia do Sul.

 
Para Braga, a binacional merece destaque no evento pelas ações desenvolvidas em benefício da preservação do recurso hídrico, reconhecidas pela Organização das Nações Unidas.

 
“Itaipu precisa estar em posição de liderança no próximo Fórum Mundial da Água pelas importantes ações em prol do cuidado e do uso sustentável da água e pela sua capacidade de mobilização e influência”, afirmou o presidente do WWC no encontro com os diretores de Itaipu Nelton Friedrich (Coordenação) e Pedro Domanickzy Lanik (Coordenação Executivo).

 

Durante o encontro, o presidente do Conselho Mundial da Água também parabenizou a Itaipu Binacional pela conquista do prêmio Água para a Vida 2015 da ONU, entregue em Nova York no final do mês de março.

 
Professor de Engenharia Civil e Ambiental da Escola Politécnica (Poli) da Universidade de São Paulo (USP), Braga foi eleito presidente do World Water Council, em 2012, na França. Antes, presidiu a International Water Resources Association (IWRA) e o Conselho Intergovernamental do Programa Hidrológico Internacional da Unesco, em Paris, além de ter sido diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) de 2001 a 2009.

 
O presidente do WWC comentou que Itaipu é modelo para o mundo em gestão de águas transfronteiriças, dada a integração entre brasileiros e paraguaios. “A Itaipu é um verdadeiro exemplo para o mundo. Utiliza a água para um determinado fim, a produção de energia elétrica, mas se compromete com o entorno, compartilhando todo o benefício advindo do uso dessa água”, comentou Braga.

   

  
Da esquerda para à direita: Rafael Gonzáles, Antônio Félix Domingues, Nelton Friedrich, Benedito Braga, Pedro Domanickzy, Lupércio Ziroldo e Luiz Pereira.

  

No encontro com Braga, os diretores apresentaram ao presidente as ações realizadas pelo Programa Cultivando Água Boa na região da Bacia do Paraná 3 e as articulações que estão em curso para a replicação do programa em outros estados brasileiros e também outros países.

 
Para Nelton Friedrich, as parcerias que vêm sendo firmadas para replicação do programa em outros locais podem ser parte da estratégia brasileira para fazer com que o 8º Fórum Mundial da Água prestigie não só o Brasil, mas toda a América Latina.

 
Na avaliação de Pedro Domanickzy Lanik, a conversa com Benedito Braga mostrou que o desenvolvimento de ações integradas em ambas as margens da Itaipu é o diferencial da empresa, em âmbito internacional.

 
A reunião também contou com a presença do coordenador-geral das Assessorias da Agência Nacional de Águas (ANA), Antônio Félix Domingues, do presidente da Rede Brasileira de Organismos de Bacias Hidrográficas (Rebob), Lupércio Ziroldo, e de seu suplente, Luiz Pereira, e do gerente do Centro Internacional de Hidroinformática/Parque Tecnológico Itaipu, Rafael González.

 
O 7º Fórum Mundial da Água (WWF7) começou no domingo (12) e vai até sexta-feira (17), em Daegu, na Coreia do Sul.

 

 

 


Cultura sexista impede crescimento das mulheres
16/04/2015 | 08h51

A cultura sexista nas empresas é um dos principais fatores que impedem que as mulheres conquistem mais cargos de chefia, destacou a socióloga Luiza Bairros, ex-ministra da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República. Nesta quarta-feira (15), ela fez a palestra magna do 5º Ciclo de Encontros Regionais para o Fortalecimento da Equidade de Gênero e Raça no Mundo do Trabalho, em Cuiabá, MT. O evento foi promovido pela Eletrobras Eletronorte.
     

Luiza Bairros, ex-ministra. Foto: EBC.
     
Segundo Luiza Bairros, o sexismo (termo que se refere ao conjunto de ações e ideias que privilegiam determinado gênero ou orientação sexual em detrimento de outro gênero) é institucionalizado e deve ser combatido com ações afirmativas, que são um conjunto de medidas especiais voltadas a grupos discriminados, como as mulheres ou os negros, que representam os maiores grupos vítimas do tratamento desigual. Essas medidas podem ser temporárias ou não.
    
A ex-ministra citou como exemplos desse enfrentamento à desigualdade a criação de espaços no ambiente de trabalho que evitem qualquer discriminação e favoreçam a igualdade; programa de estágios com oportunidades iguais, a partir do recrutamento nas faculdades; e até a responsabilidade social e cultural das empresas com patrocínios não excludentes. Ela exemplificou dizendo que “pode-se contar nos dedos as peças de negros que são patrocinadas pelas organizações”.
     
“Por inércia, o sexismo produz suas vítimas. Tem homem que chega ao cúmulo de nem conseguir ouvir uma mulher com ‘voz de mulher’ [referindo-se a uma voz mais fina]. No caso dos negros, o gargalo é a promoção". Mas a ex-ministra também lembrou que a inclusão não é só um fator social que prejudica a classe socioeconômica mais desfavorecida. "Não é coisa só de pobre. É mais fácil um gestor patrocinar uma comunidade distante do que algum projeto de um grupo de mulheres de dentro da própria empresa".
     
Histórico
     
Os encontros Regionais do 5º Ciclo tiveram início em abril do ano passado, em Salvador (BA), com o seminário “O desenvolvimento sustentável das relações sociais de trabalho na perspectiva da equidade e não discriminação”. A promoção foi da Petrobras. Já o 2º encontro regional, promovido pela Embrapa, aconteceu em novembro, em Belém (PA), com o tema “Novos Marcos Legais para a Equidade de Gênero e Raça no Mundo do Trabalho: educação, formação e ações afirmativas”.


Itaipu debate equidade de gênero
16/04/2015 | 08h42

Representantes das Nações Unidas, da Secretaria de Política Especial para as Mulheres, dos setores elétrico e bancário e também da área de pesquisa e mineração defenderam a ampliação do Ciclo de Encontros Regionais para o Fortalecimento da Equidade de Gênero e Raça no Mundo do Trabalho. A defesa foi feita em Cuiabá, MT, nesta quarta-feira, 15, na quinta edição do evento.
    

Autoridades reunidas na abertura do evento.
      
Mais de 180 pessoas participaram do Seminário "Políticas de ações afirmativas: mulheres no mercado de trabalho no século XXI”, que abriu o evento. O encontro, sediado pela Eletronorte, prossegue nesta quinta-feira, 16, com oficinas temáticas para um grupo de lideranças femininas de nove empresas responsáveis pelo ciclo.
    
Integram o ciclo o Banco do Brasil, Caixa, Correios, CPRM, Eletrobras Eletronorte, Embrapa, Petrobras, Serpro e Itaipu Binacional. O objetivo é promover um debate sobre políticas de ações afirmativas para a superação das desigualdades no mundo do trabalho. Ações afirmativas são um conjunto de medidas especiais voltadas a grupos discriminados.
     

Margaret Groff participou dos debates e falou da experiência de Itaipu.
     
De Itaipu, participam a diretora financeira executiva, Margaret Groff; a coordenadora do Programa de Incentivo à Equidade de Gênero, Maria Helena Guarezi; Criviam Paiva de Siqueira, da assistência da diretora financeira; Arlete Garbelotti, secretária da diretora financeira; Dariane Donin, secretária do diretor jurídico; e Patrícia Iunovich, gerente da Divisão de Imprensa. Itaipu foi uma das primeiras empresas do setor elétrico a adotar políticas de equidade de gênero.
     

Representantes da Itaipu: Criviam, Maria Helena, Patrícia, Arlete, Dariane e Margaret.
      
Os encontros, realizados por meio de seminários temáticos e oficinas de capacitação, reúnem lideranças e gestores/as das empresas organizadoras, pesquisadores/as, consultores/as e representantes de organizações públicas e multilaterais envolvidas no debate sobre programas e políticas de promoção da equidade nos ambientes e relações de trabalho. Os ciclos começaram em 2008. O próximo encontro será sediado pela Itaipu, em data a ser definida.
     
Lideranças
      
Na abertura, o chefe de gabinete da Eletrobras Eletronorte, José Afonso Ramos da Conceição, representando o diretor-presidente, Tito Cardoso de Oliveira Neto, falou sobre a importância do evento e o empoderamento da mulher, fazendo um breve histórico dos avanços e conquistas da empresa nos últimos dez anos. Ele lembrou o trabalho da coordenadora de Gênero da Eletrobras Eletronorte, Gleide Almeida Brito, afirmando que foi ela quem trouxe para a empresa a discussão sobre o tema.
      
Próxima edição do evento será em Foz do Iguaçu. 
     
Janice Dias, gerente de Orientações e Práticas de Responsabilidade Social da Petrobras, disse que a ampliação do ciclo representa uma oportunidade de ouvir as estratégias e diretrizes das empresas para implantar a equidade de gênero na gestão e refirmar o compromisso de colocá-la em prática no cotidiano.
       
Neusa Tito, secretária-adjunta da Secretaria de Políticas do Trabalho e Autonomia Econômica da Secretaria de Política para as Mulheres da Presidência da República, que representou a ministra Eleonora Menicucci, disse que o combate à desigualdade se faz com ações afirmativas e concretas.
    
Adriana Carvalho, assessora técnica para os Princípios de Empoderamento das Mulheres da ONU Mulheres, representando Nadine Gasman, coordenadora do escritório da entidade no Brasil, disse que o tema gênero é bastante atual, porque não é possível falar de sustentabilidade sem que haja respeito às diferenças.
     
A diretora financeira executiva de Itaipu, Margaret Groff, defendeu que as mulheres devem ocupar mais espaços nas áreas de ciência e tecnologia, para terem oportunidade de conquistar empregos melhor remunerados. A mulher que consegue o empoderamento, disse ainda, deve contribuir para empoderar outras mulheres, para evitar que elas continuem sendo apenas coadjuvantes nos quadros de pessoal.
     
Valdemar da Silva Neves, titular da Gerência Regional de Gestão de Pessoas do Banco do Brasil no Mato Grosso, reconheceu que, embora a presença da mulher nos quadros de pessoal da instituição tenha se ampliado nos últimos anos, esse aumento ainda não se refletiu de forma equitativa nos cargos de gerência.
     
O superintendente regional substituto da Caixa Econômica Federal no Mato Grosso, José Luiz Dias, afirmou que o banco vem trabalhando de forma estratégica, por meio da meritocracia, para valorizar a mulher em todas as áreas.
     
A assessora da vice-presidência de gestão de pessoas da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, Consuelo Aparecida Silski Santos, contou que, dos 129 mil trabalhadores dos Correios, 30% são mulheres. “Há dez anos, éramos 10% do quadro”.
     
Para o chefe da unidade do Serviço Geológico do Brasil - CPRM em Cuiabá, Waldemar Abreu Filho, é preciso reafirmar o compromisso com a equidade. O chefe-geral da Embrapa Gado de Corte da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária do Mato Grosso do Sul, Cleber Oliveira Soares, questionou: “O que delegamos na gestão? Na prática, estamos aplicando a equidade? Porque a mulher, quando é desafiada, cumpre à risca. Sabe tudo, na ponta da língua e no lápis”.
      
O gerente do escritório do Serviço Federal de Processamento de Dados do MT, Salvador Souza Barcellos Júnior, disse que o Serpro está presente na discussão não só pela adesão, mas, sobretudo, pelo compromisso com o trabalho decente, que se compreende como aquele que oferece a igualdade de oportunidades.

 

 

 

 

 

 


Itaipu sedia última etapa do Curso de Especialização em Segurança de Barragens
15/04/2015 | 16h29

Professor Carlos Alberto Silva ministra aula sobre "equipamentos hidromecânicos" na abertura do curso, na segunda-feira (13).

 

Profissionais de várias partes do País cumprem, nesta semana, na Itaipu, o último módulo presencial do Curso de Especialização (lato sensu) em Segurança de Barragens – Aspecto Técnicos e Legais. O encontro começou na segunda-feira (13) e vai até sábado (18), no Espaço Mercosul, no Parque Tecnológico Itaipu (PTI).

  
São 36 alunos de várias instituições, empresas públicas e privadas e organismos como a Agência Nacional das Águas (ANA). A especialização será concluída em novembro, daqui a seis meses, com a entrega dos trabalhos de conclusão.

  

Carlos Silva, Jorge Habib, Claudio Osako, Dilmison Coelho e Carlos Medeiros na abertura do terceiro módulo. Foto: Patricia de Castro/PTI.

 

A abertura ocorreu na segunda-feira (13), com a presença do superintendente adjunto de Engenharia (EN.DT), Jorge Habib Hanna El Khouri, do diretor técnico do PTI, Claudio Osako, do coordenador do Centro de Estudos Avançados de Segurança de Barragens (Ceasb), Dimilson Pinto Coelho, e do coordenador executivo do curso e diretor técnico do Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB), Carlos Henrique Medeiros.

 
A iniciativa é resultado de parceria entre a Itaipu, por meio do Centro de Estudos Avançados em Segurança de Barragens (Ceasb), Universidade Federal da Bahia e Fundação Parque Tecnológico Itaipu.

 
Lacuna

 
O curso multidisciplinar, iniciado em agosto de 2014, vai ajudar a preencher uma lacuna na formação de profissionais diante das novas exigências impostas pela Política Nacional de Segurança de Barragens e da criação do Sistema Nacional de Informações sobre Segurança de Barragens (SNISB), a Lei 12.334/2010.


“A lei de segurança de barragens obriga o empreendedor a lidar com procedimentos que já estão sendo cobrados nos relatórios de inspeção”, afirmou
Medeiros. Pelo Plano de Segurança de Barragens, há necessidade de um plano de ação de emergência em todas as hidrelétricas classificadas como de “dano potencial” – aquelas cujas barragens tenham mais de 15 metros de altura ou possuam acima de três milhões de metros cúbicos em seus reservatórios.

 

Professor Carlos Henrique Medeiros: segunda turma do curso deve ser aberta.

 

A formação beneficia também pequenos e médios empreendimentos hidrelétricos. “Há uma dificuldade destes empreendimentos menores de encontrar profissionais capacitados no mercado para atender as novas demandas instituídas pela Lei de Segurança de Barragens”, disse Dimilson Coelho, engenheiro da Divisão de Engenharia Civil e Arquitetura (ENCC.DT) e coordenador do Ceasb.


Outro benefício é a validação, no nível lato sensu, da especialização promovida pelo Ceasb em parceria com a ANA há alguns anos. “A formação de profissionais nesta área é fundamental para o setor de pesquisas e para o setor elétrico”, afirmou Coelho.

   
Última etapa

 
A excelência de Itaipu em Segurança de Barragens foi aproveitada no conteúdo programático do curso, cumprido a distância e com três módulos presenciais (um em agosto, outro em dezembro e este último).


Na terça-feira (14), a engenheira Josiele Patias, da ENCC.DT ministrou a aula “Inspeções técnicas regulares e especiais praticados em Itaipu”.

 
Nessa quarta-feira (15), Silvia Frazão, Dimilson Coelho, Claudio Neumann, Milton  Gayoso, Luis Vellachi e Silvio Baez conduziram a “aula prática de inspeção e monitoramento”. O trabalho foi feito em conjunto com os técnicos responsáveis pelas leituras e inspeções visuais rotineiras da Barragem, Augusto Anderle, Rodrigo Caceres, Johathas de Souza, Jose Otávio Jesus, Ortiz Ramirez e Jair Honório. À tarde, os engenheiros da ENCC.DT conduziram a visita técnica à usina.

 

Próxima turma

 
Uma segunda turma deve ser aberta, ainda sem prazo definido. Os interessados em participar do próximo curso devem entrar em contato com professor Carlos Henrique Medeiros (chmedeiros@terra.com.br) ou no Ceasb (ceasb@pti.org.br). A coordenação geral do curso é da professora Ivonilde Medeiros.

 

 


DGB divulga Itaipu na ExpoLondrina
15/04/2015 | 16h28

O diretor-geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, participou de dois eventos nesta terça-feira (14), na ExpoLondrina 2015. Tanto na palestra “O Agronegócio e a Sustentabilidade”, quanto no “1º Seminário Campanha Plante seu Futuro”, ele divulgou as ações socioambientais da Itaipu, principalmente aquelas ligadas à agricultura e ao cuidado com o solo e as águas.
      

Palestra fez parte da programação técnica do evento.
       

Promovida pela Sociedade Rural do Paraná, Rádio CBN Londrina e Cooperativa Integrada, a palestra fez parte da programação técnica da ExpoLondrina 2015.
      
Samek apresentou o programa “Cultivando Água Boa” e os resultados já alcançados. “O programa é uma somatória das melhores práticas produzidas no Paraná, no Brasil e também no exterior, e agrega todos os atores sociais da bacia hidrográfica. Este é o grande diferencial do Cultivando Água Boa”, afirmou, mencionando o recém-conquistado prêmio de Melhores Práticas em Gestão da Água, do Prêmio Água para a Vida 2015, promovido pela ONU.
      

Amarildo Lopes, da Radio CBN, Moacir Sgarioni, presidente da Sociedade Rural, e Jorge Samek.
      
“É possível termos melhores oportunidades de trabalho e mais qualidade de vida para todas as pessoas do País e, ao mesmo tempo, termos um profundo respeito ao meio ambiente”, garantiu o DGB. Ele destacou, ainda, a importância das cooperativas no trabalho desenvolvido pela Itaipu. “Elas são fundamentais, afinal tudo passa por elas e há uma grande aproximação com os agricultores da região”.
     
Plante seu futuro      

   
Além da palestra, apresentada no período da noite, Samek participou, pela manhã, do
“1º Seminário Campanha Plante seu Futuro”, promovido pela Secretaria da Agricultura e do Abastecimento do Paraná, em parceria com a Faep, Fetaep, Ocepar, Embrapa, Iapar, Emater, Adapar e Itaipu. O evento também integrou a programação técnica da ExpoLondrina 2015.
     
O diretor focou sua participação na tecnologia do plantio direto, desenvolvida no Paraná, que virou modelo e passou a ser adotada em várias regiões do mundo. “O programa do governo do Estado surgiu para que a conservação do solo, com a adoção do plantio direto com qualidade, fosse retomada”.
       
Segundo Samek, na área de atuação de Itaipu, mais de 240 propriedades são monitoradas para avaliar como a técnica está sendo adotada.

 


PRIMEIRA ANTERIOR 1 2... PRÓXIMA ÚLTIMA