SemLaCult: submissão de trabalhos vai até dia 23

SemLaCult: submissão de trabalhos vai até dia 23

08h45 - 18/04/2017

Até o dia 23 de abril, está aberta a chamada para submissão de trabalhos nos simpósios temáticos do 1º Seminário Latino-Americano de Estudos em Cultura (SemLACult). O evento acontece em Foz do Iguaçu, na Unila, entre os dias 28 e 30 de junho, e traz o tema “A mundialização da cultura na globalização e os processos decoloniais na América Latina”. Os interessados devem submeter as propostas pela internet, na modalidade de resumo expandido. Posteriormente, em caso de aprovação, devem apresentar o trabalho na modalidade de artigo completo. O resultado dos trabalhos aprovados será divulgado no dia 8 de maio.

A Unila é instituição parceira do SemLACult, que é uma realização do Centro Latino-Americano de Estudos em Cultura (Claec) e tem o financiamento da Capes. O evento também conta com a parceria do Grupo de Pesquisa "Territórios em Articulação: estratégias de luta e resistência de populações rurais, indígenas e tradicionais na América Latina" (TEAR).

A proposta da primeira edição do Seminário surgiu da necessidade de promover um espaço de discussão acadêmica e social sobre os diversos aspectos culturais da América Latina. A temática busca compreender a cultura como mecanismo de produção e reprodução social, a partir de seus mais diferentes aspectos e dimensões, principalmente no âmbito das Ciências Sociais e Humanas. "São áreas que têm discutido a cultura sob o viés da mundialização das identidades culturais e da sua contraface - processos contra-hegemônicos que têm se ampliado em toda a região”, coloca o mestrando da Unila Bruno Marcelino, presidente do comitê técnico do evento e membro da diretoria do Claec.

“O evento traz, também, importantes debates sobre a área da produção cultural e sobre as especificidades da região nesse campo. Com isso, pretende atrair o interesse de moradores de Foz do Iguaçu e da região da fronteira, toda ela com uma imensa vocação para a área cultural”, pontua a presidente do Comitê Organizador do evento, Senilde Alcântara, professora do curso de Antropologia - Diversidade Cultural Latino-Americana da Unila.

Ainda segundo a docente, o SemLACult traz debates fundamentais para a vocação da Unila, como a discussão sobre a mundialização da cultura a partir dos processos de globalização - fenômeno que afeta a América Latina de diversas maneiras, uma vez que reflete a forma como a região e a sua diversidade cultural são representadas dentro e fora do continente. E, nesse contexto, como isso influencia nas políticas mundiais para a América Latina e nas políticas públicas fomentadas pelos estados nacionais.

Trata-se, nesse sentido, de um debate sobre os processos decoloniais protagonizados por povos e coletivos em toda a região, onde também pode ser incluído o projeto integracionista da Unila. “O termo decolonialidade, tema da edição deste ano, marca o perfil do evento e traz como proposta o debate sobre cultura e globalização dentro e fora da universidade e para além das nossas matrizes coloniais, que são muito importantes, sem dúvida, mas que trazem uma representação da cultura e do mundo a partir do ocidente europeu. O debate, no entanto, não menospreza as relações de poder Norte-Sul, sob as quais a região, a Unila e as políticas de integração, de modo geral, estão inseridas”, contextualiza a docente Senilde Alcântara. 

Programação

Os trabalhos serão apresentados e debatidos nos eixos de 15 simpósios temáticos que compõem o evento, cujas atividades incluem, ainda, mesas-redondas, minicursos e conferências. A abertura fica por conta do equatoriano Luis Fernando Sarango Maca, idealizador da Pluriversidad Amawtay Wasi, no Equador, primeira e única universidade completamente indígena do mundo. A conferência de encerramento terá a presença do professor Renato Ortiz, de Ciências Socais da Unicamp, e traz o tema “Cultura e Mundo Contemporâneo”.

O evento recebe outros convidados nas mesas-redondas, como o ex-ministro da Cultura Juca Ferreira; a professora de Estudos Culturais Pós-Coloniais e vice-coordenadora do Programa de Pós-Graduação Interunidades em Integração da América Latina (Prolam), da Universidade de São Paulo, Vivian Urquidi; a diretora do mestrado em Estudos Culturais da Universidad Nacional de Rosário, na Argentina, Sandra Valdettaro; além do líder indígena Ailton Krenak e da liderança mulher Kaingang Iracema Ga Ra, que vão debater o tema da cultura sob a perspectiva da cosmovisão indígena.

> Para mais informações sobre o evento, inscrição e submissão de trabalhos, acesse o site: https://claec.org/semlacult/ 
* A conferência de abertura foi alterada para o período da tarde para que a comunidade possa participar, à noite, do encerramento do evento Epistemologias do Sul, realizado pela Unila. 

Fonte: Unila

Versão para impressão


Erro | JIE - Jornal de Itaipu Eletrônico

Erro

Ocorreu um erro inesperado no site. Por favor tente novamente mais tarde.