Seminário em Foz do Iguaçu debateu Agenda 2030 da OIT

Seminário em Foz do Iguaçu debateu Agenda 2030 da OIT

08h38 - 03/11/2017

De 29 a 31 outubro, a UGT- PARANÁ, União Geral dos Trabalhadores promoveu um dos mais importantes encontros que debate a Agenda 2030 e os 17 ODS - Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no Brasil. Mais de 500 dirigentes sindicais e lideranças comunitárias de diversos estados Brasileiros participaram da abertura do seminário, realizado na cidade de Foz do Iguaçu (PR). O evento reuniu representantes de organismos internacionais como a ONU -Organização das Nações Unidas; OMS – Organização Mundial da Saúde; Pnud – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento e OIT - Organização Internacional do Trabalho, além de representantes da Secretaria de Governo da Presidência da República, governo do Estado do Paraná, Sanepar, Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu; Associação dos Municípios do Paraná (AMP) e representantes das Universidades.

Durante os três dias, uma extensa agenda de debates aprofundou os temas sobre os ODS e a implantação de políticas públicas para alcançar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e suas 179 metas. A introdução à Agenda 2030 foi o eixo principal das palestras e discussões, aproximando o mundo acadêmico e dirigentes sindicais. “A integração do universo sindical com os ODS é muito mais do que uma obrigação, é uma das manifestações de cidadania preconizada pela UGT, que promulga a prática sindical cidadã, com ética e inovação”, destacou o presidente da UGT-PARANÁ, Paulo Rossi. Para o dirigente, esse seminário é um marco Brasileiro para os ODS. “Até então nenhuma central sindical aprofundou esse tema tão importante para a manutenção da vida com qualidade em nosso planeta; e esse bem-estar passa sem dúvidas pelo viés do trabalho decente, da saúde de qualidade, da educação, dos cuidados com o meio ambiente, da igualdade de gênero, das estruturas jurídicas, da erradicação da pobreza, pela produção de alimentos e o fim da fome no mundo e o fim das desigualdades sociais” destacou Rossi.

Representando o secretário de Articulação Social da Secretaria de Governo da Presidência da República, Carmen Silvia Corrêa Bueno destacou a gestão da estrutura organizacional da Agenda 2030 no Brasil: “a UGT é a única representante dos trabalhadores na Comissão Nacional ODS, e é um prazer participar desse magnífico evento, fruto da responsabilidade da central com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”. Por sua vez o assessor especial da Diretoria de Coordenação da Itaipu Binacional, Sérgio Paulo de Oliveira enalteceu o envolvimento da UGT com a Agenda 2030: “sem dúvidas construir um seminário nacional dessa magnitude exige dedicação cidadã, elemento com postura essencial para alcançarmos esses 17 objetivos com suas 179 metas”. Chico Brasileiro, prefeito de Foz do Iguaçu, além de agradecer a UGT por ter escolhido a cidade para sediar o evento, lembrou de sua trajetória junto à central: “a UGT sempre preconizou a cidadania como elemento integrante do conjunto de lutas da classe trabalhadora, e essa relação de companheirismo incentivou ainda mais nossa participação na central, por sua seriedade, comprometimento e atitudes”. Mounir Chaowiche, presidente da Sanepar, falou dos compromissos da companhia com o meio-ambiente: “para a Sanepar não basta apenas produzir água com qualidade, pensamos muito além das torneiras, recuperando, cuidando e mantendo nascentes e rios do Paraná. Se cada um de nós fizer sua parte, com certeza alcançaremos esses 17 objetivos”. O vice-presidente da UGT, Antônio Carlos dos Reis, o Salim - representando o presidente da central, Ricardo Patah-falou do envolvimento da central com os ODS: “ a UGT integrou de forma muito comprometida a proposta da ONU às suas diversas secretarias, e hoje temos a juventude, a formação sindical, as mulheres, aposentados e pensionistas discutindo profundamente o tema e elaborando práticas que efetivem a implantação dos ODS em todos os eventos realizados pela UGT”.

Ao final do seminário foi produzida a Carta de Foz do Iguaçu, com indicativos e sugestões para governos e sindicatos produzirem ações efetivas para que o Brasil alcance essa importante Agenda, a ser reavaliada em 2030.

Fonte: Mundo Sindical

Versão para impressão