PTI retoma atividades voltadas à iniciação científica em março

PTI retoma atividades voltadas à iniciação científica em março

08h58 - 28/02/2018

Fonte: PTI

Atendimentos pedagógicos personalizados no campo das ciências, oficinas para capacitação de professores e roteiros de atividades para estudantes ou alunos baseados em temáticas especiais, como energia e qualidade de vida, são algumas das ações planejadas pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), por meio da Estação Ciências, para o ano de 2018. As ações do programa serão retomadas a partir de março.

A Estação Ciências visa a promoção de iniciativas educacionais, formação de professores, e o fortalecimento da cultura científica no território. Para isso, utiliza metodologias baseadas em tecnologia e materiais de fácil acesso que podem ser adaptados às salas de aula. De acordo com o gerente do programa, Willbur Rogers de Souza, os atendimentos são agendados pelas próprias escolas da região.

Em março as atividades de 2018 serão iniciadas e, enquanto isso, a equipe da Estação Ciências faz o planejamento para aperfeiçoar as ações do programa. “Nosso roteiro tem a duração de duas horas, podendo trabalhar com até 42 estudantes que são divididos em subgrupos. Estamos remodelando as atividades pedagógicas do roteiro para ampliar a atuação que já temos”, afirma Willbur. A ação é voltada para alunos de nível fundamental I, e será composta de acordo com os conteúdos trabalhados pelos professores. A intenção é que, para 2019, a Estação Ciências amplie os atendimentos para alunos do ensino fundamental II.

As ações também se estendem aos professores e profissionais das escolas municipais, com capacitações pautadas na metodologia de ensino por investigação aplicada pelo programa. “Em 2017 tivemos a capacitação semipresencial para 50 professores do município, com sete encontros presenciais e 20 horas de curso à distância, via plataforma do Núcleo de Tecnologia do Município (NTM); e uma capacitação presencial, com encontros semanais, com 17 professores da Escola Municipal Monteiro Lobato”, destacou Willbur.

O trabalho realizado na escola levou à realização de uma mostra pedagógica, em dezembro, onde os alunos puderam expor trabalhos feitos com base na metodologia da Estação Ciências aplicada pelos professores. “Esta capacitação teve uma repercussão muito boa no município. Com ela, nós firmamos um acordo de cooperação com a Secretaria de Educação para que iniciemos, em 2018, um processo de capacitação dos professores da rede municipal de ensino”, afirmou o gerente. “A previsão é de que sete turmas sejam formadas, com 40 professores por turma, sendo 30 desses da rede municipal e 10 de escolas particulares, também com início no mês de março”, completou.

Novas temáticas, mini cidade e Ficiencias Junior

O programa tem novidades para este ano. Serão abertas vagas para bolsistas que possam atuar com a equipe pedagógica em disciplinas específicas, como matemática e química, para contribuir com os atendimentos pedagógicos. Em maio, mês que é comemorado o Dia da Energia, as atividades dos roteiros serão moldadas de acordo com os conceitos do tema. A mesma abordagem será aplicada para os atendimentos em agosto, mês da saúde e da qualidade de vida, visando a aplicação de conceitos voltados à Agenda 2030 e os novos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Outra temática a ser trabalhada pela equipe da Estação Ciências para a educação de crianças e adolescentes será a sustentabilidade, por meio de uma mini cidade que está em construção na área do PTI, com previsão de inauguração em junho.

Em 2018, o programa também organiza sua sétima edição da Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (Ficiencias), aberta para a participação de estudantes do ensino fundamental e médio do Brasil, Paraguai e Argentina. A FIciencias visa o incentivo a metodologias científicas, além da exposição de projetos que são avaliados por profissionais e concorrem a prêmios. Neste ano, a Estação Ciências realiza a primeira edição da FIciencias Júnior, paralela à FIciencias, para a exposição de projetos científicos por alunos dos níveis fundamental I e II, sem caráter avaliativo.

“A Estação Ciências foi criada para ser um subsídio do professor, tanto em termos de infraestrutura quanto de metodologia e atividades práticas, para que possamos contribuir com o município na questão da educação e modificar um pouco a forma como o ensino da ciência é encarado”, avalia Willbur. “Nosso intuito é contribuir com o desenvolvimento dessa temática e com o processo de educação da região, e formar jovens mais envolvidos, para que surjam mais cientistas, mais pesquisadores, mais profissionais nessa linha, e trazer um amadurecimento deste processo de aprendizagem”, concluiu o gerente.

Versão para impressão