Prata da casa: Newton Kaminski é o novo diretor de Coordenação da Itaipu

Prata da casa: Newton Kaminski é o novo diretor de Coordenação da Itaipu

15h10 - 13/12/2017


Kaminski tem quase 30 anos de casa e sempre atuou em diferentes áreas da Diretoria de Coordenação, que passará a comandar a partir desta terça-feira (12).

O engenheiro agrônomo Luiz Kaminski, de 52 anos, é o terceiro empregado de carreira a ser nomeado diretor da Itaipu Binacional. Ele assume a Diretoria de Coordenação no lugar de Helio Amaral. A nomeação, com mandato até 16 de maio de 2022, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (12).

Também foram nomeados os conselheiros Frederico Matos de Oliveira e Samantha Ribeiro Meyer. Para ambos, a designação tem validade até 16 de maio de 2020. Com essas nomeações, o número de representantes brasileiros no Conselho de Administração da Itaipu está completo.

Advogada, doutora e professora universitária, Samantha é a primeira mulher a assumir uma vaga no Conselho de Administração no lado brasileiro da Itaipu. Frederico Matos de Oliveira é advogado e diretor do Departamento de Articulação com os Estados da Casa Civil.

O decreto desta segunda-feira, 11 de dezembro, publicado nesta terça-feira, é assinado pelo presidente da República, Michel Temer, e pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho. Link para as nomeações publicadas no DOU: goo.gl/k2mNDP.

Antes de Kaminski, outros dois empregados de carreira haviam sido nomeados diretores na Itaipu. A primeira, em 2006, foi Margaret Groff, hoje aposentada, na Diretoria Financeira Executiva. Em março deste ano, Marcos Baumgärtner foi nomeado diretor administrativo.

Quem é Kaminski


Engenheiro agrônomo, o novo diretor é formado pela Universidade Federal do Paraná e tem diversos cursos de especialização.

Com toda a vida profissional dedicada à Itaipu Binacional (seu primeiro emprego foi na empresa), Newton Kaminski tem quase 30 anos de casa e sempre atuou na área de Coordenação, a diretoria que passará a comandar a partir desta terça-feira. Seu último cargo era o de superintendente de Obras e Desenvolvimento (OD.CD), que exerceu por 13 anos.

Engenheiro agrônomo, o novo diretor é formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e tem diversos cursos de especialização e pós-graduação, entre eles o de Biodiversidade pelo Instituto Smithsonian, nos Estados Unidos, 1995, e a especialização em Gestão de Empresas do Setor Elétrico pela Universidade de São Paulo (USP), em 2000.

Entrou na Itaipu em 1988, como agrônomo na área de meio ambiente e gradativamente assumiu diversos postos de gestão. Em 1991 tornou-se gerente da antiga Divisão de Flora (MAFL.CD). Em 1996, foi gerente de Divisão de Áreas Protegidas (MARP.CD). Já em 2000, assumiu como gerente de Departamento de Proteção Ambiental (MAP.CD). Em 2004 assumiu a Superintendência de Obras e Desenvolvimento (OD.CD), posto deixado nesta terça-feira.

Foi membro e presidente do Conselho de Curadores do Parque Tecnológico de Itaipu, de 2007 a 2012, e também coordenou os assistentes técnicos de Itaipu nas ações ambientais judicializadas contra a entidade.


Kaminski durante a inauguração da nova sede do Centro de Triagem de Materiais Recicláveis da Acaresti, em Santa Terezinha de Itaipu, na sexta-feira (8).

Para Kaminski, assumir a Diretoria de Coordenação é uma tarefa repleta de desafios. Um deles é consolidar a ampliação da área de atuação da empresa na região, que hoje vai além dos 29 municípios da Bacia do Paraná 3 e chega a todo o Oeste do Paraná, com um total de 54 cidades. Para isso, pretende reforçar o investimento em infraestrutura interna.

Outro desafio é continuar o processo de integração das ações socioambientais com a margem direita e demais diretorias de Itaipu, com foco principalmente no cuidado com a água, matéria-prima da usina, para poder ampliar a vida útil do reservatório e seu múltiplo uso, tanto para a geração de energia quanto para o lazer e sustento da economia local.

“Queremos fazer desses três próximos anos o caminho para a construção das próximas três décadas, com a ampliação de nossas ações e o surgimento de novos negócios que possam dar continuidade ao trabalho que já vem sendo desenvolvido e é referência no setor”, ressalta Kaminski. “Vamos incrementar os vários programas socioambientais da Itaipu aliando-os ao desenvolvimento regional sustentável.”

Kaminski também agradeceu a torcida por sua ascensão profissional. “Desde que surgiu o convite, recebi várias mensagens e manifestações de apoio de pessoas me desejando sucesso. Agradeço o carinho e vou fazer tudo para corresponder às expectativas. Serei o mesmo profissional de sempre, interagindo com todos.”

Para o diretor-geral brasileiro, Luiz Fernando Leone Vianna, o currículo e a reconhecida competência o credenciam ao cargo.

Braçadas continuam


Dedicação à natação e à Itaipu: para Kaminski, a prática esportiva ajuda em vários aspectos, inclusive na vida profissional, com mais disposição ao trabalho.

Na Itaipu, Kaminski é conhecido também pelo amor à natação. Atleta desde criança, começou a nadar aos 7 anos de idade, chegou a competir até mesmo profissionalmente e ganhou muitas medalhas, no Brasil e no exterior. Em agosto do ano passado, experimentou o triatlo participando do Ironman, dentro da usina.

Apesar da nova responsabilidade, Kaminski não vai deixar a vida de atleta de lado. Ele ainda compete em alto nível na sua faixa etária e ano que vem projeta braçadas em mais um Mundial Master de Natação, desta vez em Orlando, nos Estados Unidos. “Vocês vão ainda me ver correndo ou nadando por aí.”

Conselho

Com as nomeações de Oliveira e Samantha, o quadro de conselheiros brasileiros da Itaipu ficou completo, com sete integrantes. Além dos dois recém-nomeados, dele também fazem parte Orlando Moisés Fischer Pessuti, Adailton da Rocha Teixeira, Paulo Jerônimo Bandeira de Mello Pedrosa, Paulo Estivallet de Mesquita e Marcos Bezerra Abbot Galvão (representante do Ministério de Relações Exteriores, sem direito a voto nas decisões do Conselho). Todos têm mandato até 16 de maio de 2020.

As atribuições e competências do Conselho de Administração são fixadas no Anexo A do Tratado de Itaipu e no Regimento Interno da Entidade. O Conselho tem seis reuniões ordinárias por ano, de acordo com calendário aprovado na última reunião do exercício anterior. Excepcionalmente, podem ser convocadas reuniões extraordinárias.

Versão para impressão