Polo Astronômico recebe estudantes do ITA

Polo Astronômico recebe estudantes do ITA

08h30 - 11/08/2017

Estudantes da Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), de São José dos Campos, São Paulo,  tiveram experiências extraterrestres, aula de céu, boliche no espaço e observação dos astros por telescópio. Essas atividades fizeram parte da visita do grupo, nessa quarta-feira, 09, ao Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho, do Parque Tecnológico Itaipu (PTI). O nome do Polo foi escolhido em homenagem ao criador do ITA. O professor responsável pelo grupo, Ronaldo Gonçalves de Carvalho, considera que o espaço honra a memória de Casimiro.
 
Na década de 40, Casimiro apostou no avanço do Brasil em relação à tecnologia e à implantação de uma indústria aeronáutica. Foi quando, em 1946, implantou o ITA, uma escola de engenharia de alto nível. O coordenador do Polo, Janer Vilaça, conta que “Casimiro pensou grande e pensou longe”, o que leva à referência à astronomia – tema que é tratado no espaço. Por isso, foi feita a homenagem ao militar, que era conhecido como Marechal do Ar.
 
A experiência do grupo de 23 pessoas, composto por estudantes e professores do curso de Engenharia Civil Aeronáutica do ITA, começou antes mesmo de entrar no Polo Astronômico, quando Janer apresentou o PTI, onde a estrutura está instalada, e a representação de uma constelação formada por luzes na área externa. No espaço interno, o coordenador falou sobre as atividades do Polo, que atua em três frentes, como foco na astronomia: ensino, pesquisa e turismo.
 
Durante a visita, o grupo teve lições, por exemplo, sobre a diferença entre meteoro e meteorito e que o conjunto de estrelas conhecido como “Três Marias” é uma constelação que só pode ser vista no verão. Desconstruir conceitos é um dos objetivos do Polo, segundo Janer. “A ideia é que as pessoas separem a cultura científica da cultura popular”. Para isso, o espaço trabalha com a popularização das ciências.
 
O grupo do ITA pôde “sentir” a diferença de gravidade entre os astros com a experiência do Boliche no Espaço. Eles ainda tiveram uma aula sobre os astros a céu aberto, fizeram a observação desses astros pelo telescópio e foram ao planetário do Polo.

O professor Ronaldo, do ITA, conta que a instituição tem como tradição visitar a Itaipu Binacional e seus atrativos turísticos. “Da última vez visitamos a Itaipu e o PTI. O Polo Astronômico sempre nos chamou atenção, até mesmo pela memória do Casimiro, que é o idealizador da nossa escola”, afirma. O trabalho desenvolvido pelo Polo, acredita o professor, honra a memória de Casimiro, por meio da valorização da pesquisa e aproximação com a comunidade.
 
Para o estudante Thales Cavalcante de Queiroz, 24 anos, a forma como o conhecimento é repassado no Polo facilita a aprendizagem. “A dinâmica de interação e as diversas maneiras de explorar o conhecimento facilitam o aprendizado”, diz. Entre os pontos mais marcantes da visita, Thales destaca a observação das constelações. “Eu não tinha muito conhecimento, então para mim acrescentou bastante”.

Fonte: PTI

Versão para impressão