Palestra sobre Einstein abre Semana Nacional da Astronomia

Palestra sobre Einstein abre Semana Nacional da Astronomia

08h51 - 30/11/2017

Em 1915, Albert Einstein, um dos maiores gênios da humanidade, começou a falar sobre “ondas gravitacionais”, sem ninguém entender muito bem o que eram essas tais perturbações. Levou cem anos até que elas pudessem ser detectadas e, enfim, estudadas. Desde 2015, elas vem sendo pauta da grande mídia e, para desmistificar o tema, o Polo Astronômico Casimiro Montenegro Filho trouxe o professor doutor pelo ITA, César Lenzi, nessa segunda-feira, 27, para palestrar à comunidade. 
 
“É um tema que tem sido trazido de forma simplista. As pessoas ouvem aquilo e tomam como verdade. Essa é minha 8ª palestra desde 2015, para explicar à comunidade o que são ondas gravitacionais e a importância dessa descoberta. E temos que entender que essa pode ser a maior descoberta da astronomia desde que Galileu Galilei decidiu apontar o telescópio para o céu”, inicia Lenzi.
 
A maior parte do que conhecemos de astronomia e cosmologia, explica o especialista, vem do que observamos através da luz. Porém, com ondas eletromagnéticas, algumas informações “se perdem” pelo caminho. Isso não acontece com as ondas gravitacionais. “Isso vai nos permitir preencher algumas lacunas sobre o Universo. Teremos informações raríssimas como, por exemplo, de buracos negros”. 

O tema “universo” é algo que sempre gera curiosidades, dúvidas e mitos nas pessoas. Por isso, para aproximar a astronomia da comunidade, o Polo Astronômico promove a aproximação da ciência da população. “É preciso fazer isso com muita responsabilidade, como o Polo Astronômico faz. É importante que as pessoas tenham um conhecimento mínimo. Porque Astronomia é o berço da ciência do mundo. Tudo começou a se basear a partir da observação do sol, da lua e das estrelas. Então, nesse sentido, digo que esse trabalho do Polo, é extremamente importante”. 
 
O evento dessa segunda foi o início da Semana Nacional da Astronomia, promovida pelo Polo Astronômico. Até o dia 2 de dezembro, o atrativo contará com o tema sobre a ciência no Brasil. Além disso, a intenção futura é trazer cada vez mais debates para Foz do Iguaçu. “Queremos fazer palestras trimestrais para construir uma comunidade científica. Faz parte do nosso trabalho de popularizar a ciência”, conclui o coordenador do Polo Astronômico, Janer Vilaça.

Fonte: PTI

Versão para impressão