Jovens amantes do circo reencontram artistas da Circocan

Jovens amantes do circo reencontram artistas da Circocan

15h02 - 08/01/2018

A estudante Caroline Sartori, 17 anos, foi a primeira a saltar no trapézio voador instalado no Gramadão, na tarde de sexta-feira (5). Ela e o amigo Cândido Zeni Neto, 18, aguardaram ansiosos a volta da Escola Internacional de Circo, Circocan, a Foz do Iguaçu, depois da primeira passagem, em 2017. A dupla marcou presença na abertura da 2ª edição do Festival de Arte e Circo do Gramadão, que começou na sexta e vai até 3 de fevereiro.

Caroline estava ansiosa para voltar a saltar no trapézio voador. Ela foi a primeira na abertura do festival.

Caroline e Cândido foram os participantes mais assíduos na edição do festival do ano passado. Na ocasião, o presidente da Circocan, Pedro Cruz, ficou impressionado com a desenvoltura da dupla nas artes circenses e os convidou para treinar na sede da Escola, em Florianópolis (SC). Ao longo de 2017, eles foram duas vezes à capital catarinense e puderam conhecer melhor o mundo do circo.

Cândido e Caroline continuam praticando juntos. Eles prometem ir todos os dias ao Gramadão para aproveitar as oficinas gratuitas.

“Nós ficamos surpresos quando recebemos o convite”, conta Caroline. As aulas de circo em Florianópolis seguiram as mesmas bases das oficinas oferecidas no Gramadão, mas de forma muito mais intensa. “Aqui, nós fazemos o salto no trapézio voador uma ou duas vezes. Lá, a gente saltava umas 20 vezes por dia”, lembra Cândido.

Caroline conheceu a Circocan no ano passado. "Eu convidei o Cândido e ele achou estranho, mas acabou indo também", conta.

Em sua segunda passagem por Foz do Iguaçu, o Festival de Arte e Circo oferece a magia das artes circenses à comunidade em geral. No trapézio, as pessoas podem saltar a 10 metros de altura, com total segurança e ajuda de profissionais especializados. Outras oficinas são de equilíbrio sobre as mãos, malabares e acrobacias aéreas (lira, tecido e trapézio fixo) e de solo.

Cândido acredita que um dos benefícios das artes circenses é deixar o praticante sempre de bem consigo mesmo.

As aulas despertaram uma paixão que nem Caroline nem Cândido conheciam. Depois do intensivo na sede da Circocan, os dois continuaram praticando alguns exercícios mais simples no ginásio Costa Cavalcanti. Eles não pretendem seguir a vida do circo profissionalmente, mas querem se aperfeiçoar cada vez mais. Nem que seja por hobby.

As oficinas já começaram no Gramadão. Elas acontecem até fevereiro e são gratuitas.

Na segunda passagem da Circocan em Foz, a dupla promete repetir a dose do ano passado: participar todos os dias das aulas. Um pouco para manter em forma a arte circense, um pouco para matar a saudade dos amigos. “O que nos fez gostar tanto disso aqui é o pessoal da Circocan. Eles estão sempre em um bom astral e nos recebem de uma maneira incrível, é uma energia muito gostosa”, conclui Cândido.

Arte e Circo

O 2º Festival de Arte e Circo, que acontece no Gramadão entre 5 de janeiro e 3 de fevereiro, é promovido pela Itaipu Binacional. As oficinas acontecem às terças, quartas e sextas-feiras, das 15h30 às 19h30; aos sábados, das 10h às 12h e das 16h30 às 19h30; e aos domingos, das 16h30 às 19h30. Os espetáculos no Gramadão acontecerão nos dias 14, 21 e 28 de janeiro e no dia 3 de fevereiro, das 20h15 às 21h.

Versão para impressão