Formação em sustentabilidade do Oeste é realizada em Toledo

Formação em sustentabilidade do Oeste é realizada em Toledo

08h15 - 20/12/2017

Foi realizado em Toledo, o 2º módulo referente à Formação em sustentabilidade do território urbano do Oeste do Paraná (STUOP). A ação é realizada pelas instituições francesas, Universidade de Tecnologia de Compiège (UTC) e a L’Alliance, além do apoio da Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre) de Curitiba e Itaipu Binacional, através do Parque tecnológico Itaipu (PTI).

A sugestão apresentada pelo município de Toledo foi referente a novas cidadanias urbanas, alusivo à instalação do Parque Científico e Tecnológico de Biociências (Biopark).

O evento aconteceu em três momentos, primeiro no hall de entrada na prefeitura com a participação da população, a segunda ocorreu no auditório da Câmara Municipal dos Vereadores, em que foram apresentadas as ações desenvolvidas pelos alunos e professores do STUOP sobre a demanda do município sobre o Biopark e o encerramento no auditório do paço municipal.

Em cada cidade é realizado um trabalho de duas semanas, onde é aplicada a parte teórica na prática. “Conversamos com a população de Toledo, sobre o que se sabia sobre o Biopark, fizemos um reconhecimento da cidade, e das instalações do Parque. Posteriormente montamos um projeto final que foi apresentando para a comunidade e representantes da gestão pública nesta sexta-feira”, explica a aluna do curso STUOP, Ana Biesek.

O primeiro módulo aconteceu em Foz do Iguaçu. “A demanda apresentada pela fronteira foi sobre a mobilidade urbana, depois de Toledo as próximas cidades serão Assis Chateaubriand, Guaíra e por fim Cascavel” comenta Ana.

Sobre os resultados a aluna informa. “Ouvimos 49 pessoas entre os dias 9 a 11 de novembro. A maioria das pessoas avaliaram o Biopark como positivo, dando ênfase que esse espaço irá proporcionar desenvolvimento econômico para a cidade, através da geração de empregos, melhoras na saúde, oportunidades de pesquisa entre outros benefícios”.

BIOPARK

O Parque Científico e Tecnológico de Biociências prevê a geração de 30 mil novos empregos. O objetivo é reunir as condições necessárias para formar pessoas qualificadas na área da biociência, além de estimular o desenvolvimento da pesquisa e atrair empresas inovadoras do setor.

Essa iniciativa é da indústria farmacêutica Prati-Donaduzzi, apoiada pelo governo do Paraná, que prevê uma área de quatro milhões de m² destinados à universidades, hospitais, incubadoras, indústrias e espaços residenciais.

Fonte: Jornal do Oeste

Versão para impressão