Cataratas Baja conquista 3º lugar na Baja SAE

Cataratas Baja conquista 3º lugar na Baja SAE

08h24 - 17/03/2017

A equipe Cataratas Baja SAE conquistou o 3º lugar na categoria Slalom, da Competição Nacional Baja SAE. Na classificação geral, ficou em 37º lugar, de um total de 88 equipes competidoras. A 23ª edição do evento aconteceu entre os dias 9 e 12 de março, em São José dos Campos (SP), reunindo representantes de universidades de todo o país, que somaram 1.836 estudantes de engenharia e professores.

A equipe Cataratas Baja é resultado de um projeto de extensão da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), com apoio da Fundação Parque Tecnológico Itaipu e Itaipu Binacional. O grupo é formado por 13 estudantes de engenharia mecânica e elétrica, que tem o desafio de projetar e construir veículos off road, para participar de competições que envolvem provas de segurança, conforto, motor, frenagem, dinâmicas e enduro.

“No campeonato nacional as provas são de caráter eliminatório. Neste ano, conseguimos realizar todas as provas - o que é um resultado muito satisfatório e animador. Somente tivemos problema na prova de enduro, que é a última prova. Isso fez com que perdêssemos um pouco de tempo, refletindo na pontuação final”, explica o capitão da equipe Fábio Zardinello, aluno de engenharia mecânica.

O melhor desempenho, que rendeu o troféu, foi na categoria Slalom, prova que testa a manobrabilidade do veículo. “Nela o piloto precisa cumprir um determinado percurso, no menor tempo possível, driblando obstáculos sem derrubá-los”.

“Foi a primeira competição nacional do protótipo RQ3 e ter concluído todas as provas é um resultado muito bom”, avalia Fábio. Até novembro, o RQ3 passará por melhorias para competir na etapa sul. Ao mesmo tempo, a equipe já iniciou o desenvolvimento de um novo carro, o RQ4 que deve ficar pronto em um ano. O nome do veículo, RQ, é uma homenagem ao engenheiro da Itaipu, Roberto Queiroz, que deu início ao projeto, em 2005.

Essa foi a 4ª participação da equipe no campeonato nacional. O melhor resultado foi conquistado em 2014, quando ficaram na 12ª colocação geral. Mas, como a própria equipe avaliou, “no final das contas o que importa é que o nosso carro aguentou todas as provas e terminou o enduro andando! Fica o aprendizado e a determinação para buscar melhorar cada vez mais”.

OFICINA

A oficina onde os protótipos são projetados, construídos e testados está instalada no PTI. Além de estrutura física, técnicos do Parque apoiam a gestão administrativo-financeira do projeto. “Aqui eles colocam em prática muitos dos conceitos vistos em sala de aula, mas também precisam ter dedicação à pesquisa, a fim de tornar os veículos mais competitivos e eficientes. É uma oportunidade de vivência profissional, de trabalho em equipe e certamente chegarão ao mercado como profissionais muito mais capacitados”, destaca o engenheiro mecânico do PTI, Sérgio de Moura Calça.

Fonte: PTI

Versão para impressão


Erro | JIE - Jornal de Itaipu Eletrônico

Erro

Ocorreu um erro inesperado no site. Por favor tente novamente mais tarde.