Atualização tecnológica: Itaipu prepara licitação para início de 2018

Atualização tecnológica: Itaipu prepara licitação para início de 2018

16h00 - 09/10/2017

Após o workshop realizado com 40 empresas na semana passada, no Centro de Recepção de Visitantes em Hernandárias (Paraguai), a Itaipu Binacional entra na reta final para lançamento do processo de licitação para o projeto de atualização tecnológica da usina. 

Na avaliação do superintendente adjunto de Engenharia, Jorge Habib, o workshop foi bastante positivo. Nos próximos dias, as empresas participantes poderão encaminhar sugestões sobre os temas abordados no evento. “A ideia é finalizar a documentação até o final do ano, para lançamento do processo no início de 2018”, afirmou o engenheiro.


Habib fala aos participantes do workshop sobre atualização tecnológica da usina de Itaipu.

Segundo Habib, a Itaipu vem seguindo uma estratégia de manter uma relação aberta e transparente com o mercado, de modo a ampliar as discussões sobre as opções tecnológicas disponíveis. Em 2016, a empresa já havia realizado um workshop sobre o tema, em que fez a apresentação da proposta técnica do projeto.

Nesta segunda edição, o processo está bastante adiantado e o objetivo foi transmitir as diretrizes do processo de licitação, como os critérios financeiros e jurídicos, e a formação de consórcio, o que deve permitir às empresas se organizarem e se prepararem para a disputa. 

Segundo Habib, os principais itens que serão objetos da contratação já estão definidos. Porém, alguns itens relevantes ainda carecem de definição. “Um exemplo é a quantidade de máquinas que deve parar por ano. Há uma referência de duas unidades/ano, mas isso ainda pode ser revisto”, completou o superintendente.

Uma vez lançada a licitação, a expectativa da Itaipu é de que o processo (publicação, escolha das empresas e contratação do serviço) se desenrole ao longo de 2018 e a atualização tecnológica da usina, que deverá custar cerca de US$ 500 milhões e levará uma década, tenha início em 2019.

O projeto

A proposta prevê um novo desenho para a central, com uma rede integrando vários equipamentos digitais que substituirão equipamentos eletroeletrônicos e analógicos originais. O foco principal são as funções de controle, regulação, excitação, proteção, supervisão e monitoramento de equipamentos e sistemas pertencentes às unidades geradoras.

Também serão contemplados serviços auxiliares, controle centralizado, equipamentos da barragem, equipamentos do vertedouro, subestação isolada a gás e a subestação da margem direita. Não estão incluídos no projeto grandes equipamentos, como geradores, turbinas, comportas, transformadores principais ou equipamentos de alta tensão em geral.

Versão para impressão